Tags

,

O almirante de esquadra Júlio de Sá Bierrenbach, de 97 anos, que quando ministro do Superior Tribunal Militar (STM) defendeu a investigação do atentado do Riocentro, foi homenageado pela Câmara Municipal de Sorocaba com o Título de Cidadão Emérito em sessão solene realizada na noite de quarta-feira, 5, no plenário da Casa. A banda regimental do 7º Batalhão da Polícia Militar do Interior participou do evento, que foi transmitido ao vivo pela TV Legislativa (Canal 6 da NET).

Estiveram presentes na solenidade o secretário de Governo e Segurança Comunitária, João Leandro da Costa Filho, representando o prefeito Antonio Carlos Pannunzio; o presidente do Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Sorocaba, professor Adilson César; o diretor do Sistema Ipanema de Comunicação, Francisco Pagliatto Neto; o presidente da Associação dos Engenheiros e Arquitetos, Valdir Paezani; o presidente da Sociedade Amigos da Marinha, Paulo Moreira; a diretora da Escola Estadual Prof. Julio Bierrenbach Lima; o 1º tenente Bianchi, representando o tenente-coronel Renato Ivo Fernandes Castro, chefe da 14ª CSM (Circunscrição de Serviço Militar).

Natural de Sorocaba, onde nasceu em 8 de janeiro de 1917, Bierrenbach é filho do engenheiro civil Júlio Bierrenbach Lima e da professora Júlia de Sá Bierrenbach. Mudou-se para o Rio de Janeiro aos 16 anos, ingressando, em 1935, na Escola Naval para seguir carreira militar. Ficou nacionalmente conhecido ao declarar publicamente, quando ministro do Superior Tribunal Militar (STM), que o atentado do Riocentro, ocorrido na noite de 1º de maio de 1981, foi realizado por integrantes do próprio Exército. Nos dias seguintes à explosão, os próprios militares tentaram veicular a ação a “terroristas de esquerda”.

O vereador José Crespo, autor da homenagem, observa que houve muitas pressões para que Bierrenbach assinasse essa falsa versão, mas ele não cedeu e, como ministro do STM, deu declarações contundentes sobre o caso. “Com o seu gesto, mudou a história do Brasil e contribuiu para queda do regime militar. Agora, Sorocaba reconheceu o valor desse seu filho”, ressaltou Crespo. O parlamentar lembra, ainda, que o almirante, como ministro do STM, teve uma atuação decisiva no combate às torturas contra presos políticos e defendeu a abertura política, defendendo a volta das eleições diretas para presidente da República.

Fonte: Câmara Municipal de Sorocaba

Anúncios