Tags

,

Após receber denúncias de irregularidades como falta de funcionários, de alimentação e de limpeza no Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas III (Caps AD III), na Vila Angélica, os vereadores Rodrigo Manga (PP) e Luís Santos (Pros), respectivamente presidente e relator da Comissão de Dependência Química da Câmara, fizeram hoje (05/11) uma fiscalização na unidade no período da manhã.

No local, os vereadores verificaram a ausência da coordenadora da unidade e tiveram a confirmação dos funcionários de que as refeições têm chegado atrasadas e de que, aos finais de semana, a unidade não tem funcionários para fazer a limpeza.

Conforme os funcionários, a coordenadora estaria numa reunião externa. “Temos essa dificuldade constantemente nessa unidade. Sempre que ligo procurando a coordenadora, ela nunca está”, ressaltou o vereador Manga.

Conforme o parlamentar, outro dado que chamou a atenção foi o fato de só um dos oito leitos da unidade estar ocupado. “Com tantos dependentes químicos na cidade, tantas minicracolândias é de se estranhar que a unidade não esteja lotada”, questionou. Para o vereador, isso demonstra que a proposta de tratamento de pacientes dependentes químicos e de álcool em Sorocaba não está funcionando.

“Além dos problemas encontrados como a alimentação que está atrasando porque vem do Vera Cruz  e segundo os funcionários a licitação está atrasada, e ausência de funcionários de limpeza nos finais de semana, o pouco aproveitamento da unidade preocupa muito.

Como Sorocaba não tem política de internação involuntária, a unidade acaba sendo mal aproveitada e isso faz com que vejamos na cidade tantos moradores de rua, tantas minicracolândias”, disse o vereador.

Segundo ele, a luta da Comissão para 2015 será trazer para Sorocaba um tratamento mais digno para os dependentes químicos com a instalação na cidade de um hospital para desintoxicação nos mesmos moldes da Clínica de Botucatu, visitada pela comissão há duas semanas.  Sobre as irregularidades encontradas no local, os parlamentares disseram que deverão oficiar o Poder Público para cobrar respostas.

Fonte: Câmara Municipal de Sorocaba

Anúncios