Tags

,

Os casos relacionados aos cavaletes abandonados nas ruas e aos abusos na distribuição de santinhos serão avaliados pelo juiz eleitoral José Carlos Metroviche. O representante da justiça aguarda um levantamento dos seis cartórios de Sorocaba para encaminhar as denúncias ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de São Paulo. Não há uma data estabelecida para isso acontecer.

Ontem, em entrevista à rádio Cruzeiro FM 92,3, Metroviche não soube estimar o número de cavaletes recolhidos ou ainda jogados nas ruas da cidade. “Sei que são bastante”, diz. “É uma situação desagradável, pois o pessoal dos partidos poderia ter retirado”, conta.

Por lei, a exposição dos cavaletes nas vias públicas estava permitida até as 22h de sábado – 10h antes do início do primeiro turno das eleições. Mas, na prática, isso não aconteceu em Sorocaba. O material ainda pode ser visto em várias regiões do município.

Caso os partidos não retirem os cavaletes das ruas, Metroviche estuda a possibilidade de a própria justiça eleitoral realizar o serviço. “Vamos ter de sair a campo, apesar da responsabilidade ser do candidato. Durante esses dias pretendemos tirar esses cavaletes e vamos tentar pedir o apoio do município para colocar o material em um depósito”, comenta.

Questionado sobre uma possível punição aos infratores, Metroviche preferiu por enquanto não emitir uma opinião sobre o assunto. “Não dá para ser dito de imediato, mas podem ser multados ou responderem um processo crime”, relata.

Os santinhos dos candidatos também estão na mira de Metroviche. “Quem jogou e foi identificado vai responder processo-crime”, diz. Segundo o juiz eleitoral, quem tiver uma prova, como fotografia ou vídeo do ato, pode encaminhá-la a um cartório de Sorocaba.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul