Tags

,

O número de unidades residenciais lançadas em empreendimentos imobiliários na cidade, entre janeiro e setembro deste ano, diminuiu 30% em relação ao mesmo período de 2013, passando de 5.101 para 3.568. Os imóveis com dois dormitórios registraram a queda mais significativa, de 45%, seguido dos com três dormitórios, de 30%.

Em contrapartida, a oferta por residências de um dormitório cresceu de 416 unidades para 810, ou seja, 95% a mais no mercado. Os dados fazem parte do estudo desenvolvido pelo Sindicato da Habitação (Secovi-SP) e foram apresentados na manhã de ontem pelo vice-presidente do interior e diretor da entidade, Flávio Amary.

O motivo para a queda dos lançamentos é o impacto na economia da incerteza do resultado das eleições, e da revisão do Plano Diretor, que ainda não foi votado. “As pessoas têm postergado a compra, adiado lançamentos e segurado para não assumir novas dívidas.”

Diante deste cenário, com mais oferta, menos procura e estoque, Amary afirma que é o momento ideal para quem pretende comprar um imóvel e usufruí-lo. “Podem negociar um preço abaixo da tabela nos plantões de venda ou com pessoas físicas; mas não na expectativa de que aconteça uma valorização como em anos anteriores, deve ser em uma velocidade mais baixa.”

O preço médio do metro quadrado em condomínios horizontais e verticais é R$ 4.526,00, e levando em conta o valor final, imóveis com dois dormitórios são encontrados por R$ 149.054,00 e com três, R$ 433.141,00. O estudo mostra que, até agosto deste ano, três projetos de loteamentos fechados foram aprovados pelo Graprohab (Grupo de Análises e Aprovação de Projetos Habitacionais no Estado de São Paulo), totalizando 1.041 lotes previstos. Já 2013 fechou com nove projetos aprovados, e 5.434 lotes.

ESTUDO – Amary explica que o total de 6.043 unidades lançadas entre setembro de 2012 e 2013, número acima da média de anos anteriores, é resultado de programas como “Minha Casa, Minha Vida”, e andamento de processos que demoram para ser aprovados. Em relação ao acumulado dos três últimos anos, quando o estudo começou a ser feito, o Parque Campolim aparece em primeiro lugar no ranking de bairros em número de unidades vendidas. Foram 3.041 imóveis lançados e 1.872 vendidos, o que representa 61,55% de comercialização. A maioria das ofertas registradas é de imóveis com três dormitórios. Em segundo lugar, aparece o Jardim Novo Mundo, com 755 unidades vendidas, seguido do Jardim Gonçalves, com 699; Vila Progresso, 543; Jardim Guarujá, 463; Parque Vitória Régia, 440; Vila Odin, 430; Além-Ponte, 396; Jardim Leocádia, 360; e por último Wanel Ville, com 353 imóveis.

Levando em conta o cenário de toda a cidade, o modelo de imóvel mais lançado desde 2011 é com dois dormitórios e de até R$ 190 mil, que totalizaram 10.040 unidades verticais, 67,62% do total. O metro quadrado de área útil é vendido a R$ 3.158,00. Amary conta que, se em 2011 os lançamentos eram 80% verticais e 20% horizontais, os índices mudaram para 90% e 10% respectivamente.

Fonte: Jornal Diário de Sorocaba

Anúncios