Tags

,

A falta de informação é o principal entrave para que os benefícios sociais e programas de complementação da renda alcancem todas as famílias que vivem em situação de pobreza e de extrema pobreza. Essa é a avaliação do sociólogo Rogério Souza, professor do campus de São Roque do Instituto Federal de São Paulo. Ele afirma que muitos dos municípios que têm população com esse perfil acabam restringindo a sua utilização pelo desconhecimento daqueles que seriam os beneficiários.

O sociólogo argumenta que caberia às prefeituras o papel de difundir essa informação e buscar a cobertura dessa demanda dentro de cada cidade, o que nem sempre ocorre. Souza cita que muitas vezes questões políticas e partidárias acabam interferindo na efetiva utilização desse benefício social. Ele argumenta que por se tratar de um programa federal, que acabou se tornando uma plataforma política do atual governo, prefeituras que são de partidos de oposição acabam não difundindo o programa da forma como seria esperado.

“Em cidades governadas pelo PT, a cobertura do Bolsa Família é notadamente maior. O que não ocorre nos municípios tradicionalmente governados pelo PSDB ou outros partidos de oposição do governo federal”, comenta. “Com isso quem perde é a população que deixa de ser atendida ou tem o seu direito restringido pela falta de informação”, completa.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul

Anúncios