Tags

,

O dia de ontem foi marcado por protestos em diversas cidades do País, incluindo Sorocaba. O principal tema levantado nos movimentos foi a Copa do Mundo, em repúdio aos valores investidos no torneio. Cerca de 60 pessoas, segundo estimativa da Polícia Militar (PM), reuniram-se na praça Dr. Arthur Fajardo, o Largo do Canhão, de onde saíram em passeata por ruas da região central. A concentração teve início às 17 horas e a caminhada em direção ao Terminal Santo Antônio começou uma hora mais tarde.

Às 19h30, os participantes se dispersaram na avenida Afonso Vergueiro, em frente à Estação Ferroviária. O grupo levou faixas, cartazes e gritou palavras de repúdio contra o prefeito Antônio Carlos Pannunzio (PSDB). “Em todo o Brasil e até outros países há manifestações em repúdio à Copa. Aqui aproveitamos para protestar contra o aumento da tarifa do ônibus, pois o prefeito já divulgou que será de 10%”, conta Jean Marcelo dos Santos, integrante do Domínio Público, coletivo que organizou o protesto junto com o ‘Juntos’.

O Movimento Contracatraca esteve na passeata, assim como o ex-candidato a prefeito pelo PSOL, Raul Marcelo. O integrante do Domínio Público, Ígor Tanaka, comenta que recentemente foi criado o comitê ‘Copa pra quem?’ que discute os gastos para a realização da Copa do Mundo. “Ninguém consultou a população para saber se queria receber a Copa. Essa é uma grande contradição, pois investiram muito no evento e outros setores estão precários.” Ele destaca que é a favor do aumento salarial para os motoristas do transporte coletivo, mas afirma que os empresários do setor devem bancar a diferença. A intenção do coletivo é organizar mais protestos até o torneio mundial.

PROTESTO – Equipes da PM, Guarda Civil Municipal (GCM) e Urbes Trânsito e Transportes acompanharam o protesto desde o início. O helicóptero Águia sobrevoou a região por algumas vezes. A passeata passou pelas ruas Souza Pereira, Dr. Álvaro Soares e avenida Luiz Ferraz, até chegar a uma das entradas do Terminal Santo Antônio, onde as guarnições se posicionaram. Os dois acessos ao shopping Pátio Cianê receberam reforço de seguranças particulares e o trânsito da região foi desviado por amarelinhos.

Um dos manifestantes usou um lenço com estampa de caveira para esconder metade do rosto. A lei municipal 10.809 publicada no último dia 7, de criação do vereador Fernando Dini (PMDB), “proíbe o uso de máscara ou qualquer outra forma de ocultar o rosto do munícipe nas reuniões públicas ou manifestações de pensamento”.

Os manifestantes permaneceram em frente ao terminal por alguns minutos, chamando a atenção de comerciantes e populares. De lá seguiram pela rua Pedro Hirofumi Nakazo até a Francisco Scarpa, chegando à avenida Afonso Vergueiro. “Se a tarifa aumentar, Sorocaba vai parar. Se o povo se unir, a tarifa vai cair”, “Urbes caça-níquel”, e “Fifa, paga a minha tarifa”, foram algumas das frases repetidas durante o protesto. Na avenida Afonso Vergueiro as faixas no sentido do Centro ao bairro foram tomadas pelo grupo. A PM se posicionou no canteiro central, impedindo o acesso às faixas do sentido contrário. A entrada e saída de ônibus no Terminal também foram interrompidas. Os manifestantes tinham a intenção de seguir até o Terminal São Paulo (TSP), mas optaram por encerrar o protesto na via, em frente à Estação Ferroviária.

Fonte: Jornal Diário de Sorocaba

Anúncios