Tags

,

Representantes da coordenação do Fórum Popular de Saúde de Sorocaba reuniram-se na manhã de ontem, quando colheram assinaturas para um abaixo-assinado solicitando a reversão de medidas elaboradas pelo governo de Antônio Carlos Pannunzio, na saúde municipal.

O encontro teve início às 10 horas, no cruzamento do bulevar Dr. Braguinha com o Barão do Rio Branco.

Entre as principais reivindicações do movimento estão o retorno do atendimento pediátrico nas unidades da zona norte e da zona oeste; a desburocratização do atendimento no Pronto-Socorro Municipal na Santa Casa, com o fim da intermediação do atendimento emergencial por outras unidades de saúde; a contratação de mais médicos; e a implantação de uma política de valorização aos profissionais da saúde municipal.

O objetivo, segundo a funcionária pública Fernanda Garcia, é conscientizar a população quanto aos seus direitos à saúde pública, e sensibilizar as autoridades por melhores mudanças.

“Nós partimos do princípio que o atendimento da saúde pública é direito de todos e deve estar ao alcance da população. Com a mudança de atendimento das unidades básicas, o deslocamento das famílias e crianças para receber o auxílio médico ficou mais difícil”, ressalta Fernanda.

Desde novembro, a Unidade Pré-Hospitalar da zona oeste atende somente a casos de pediatria, enquanto na Unidade Pré-Hospitalar da zona norte, estão sendo atendidos somente os casos de urgências e emergências de adultos.

A mudança, segundo a Secretaria Municipal da Saúde, foi feita para aperfeiçoar os serviços oferecidos à população. Mas esta ideia, segundo os representantes do Fórum Popular da Saúde, prejudicou o deslocamento das pessoas que moram na zona norte, e têm de levar seus filhos para ser atendidos em outro lado da cidade, assim como os da zona oeste, que andam quilômetros para chegar à unidade da zona norte.

A falta de médicos também são algumas das reclamações apresentadas pelo movimento. “Faltam mais médicos da rede municipal em Sorocaba por causa dos baixos salários oferecidos.

Em outras cidades da região, o salário é mais alto, enquanto aqui eles recebem menos por isso”, observa Fernanda Garcia.

“Nós chegamos a enviar um requerimento à Prefeitura pedindo informações sobre a saúde pública, com dados sobre o número de médicos e funcionários oferecidos à população, assim como a quantidade de equipamentos nos hospitais e unidades básicas, e esperamos mais respostas.”

No dia 19 de dezembro, o prefeito Antônio Carlos Pannunzio apresentou um balanço de seu primeiro mandato e falou sobre a questão da saúde em Sorocaba.

Em coletiva à imprensa, dada no Paço, ele disse que a reorganização do sistema de urgência e emergência por meio da central de regulação de vagas foi um passo rumo às melhorias.

O prefeito ainda ressaltou que os principais desafios deste primeiro ano de governo foram a saúde e a coleta de lixo.

“Nós precisamos continuar melhorando o atendimento na cidade, embora eu ache que as medidas tomadas até o momento tenham surtido efeito. Não é algo que se muda do dia para a noite”, disse Pannunzio.

Fonte: Jornal Diário de Sorocaba

Anúncios