Tags

, ,

Mais de 100 funcionários da Santa Casa de Misericórdia de Sorocaba realizaram um protesto em frente ao hospital nesta segunda-feira (23), para exigir o pagamento da segunda parcela do 13º salário, problema que foi resolvido pelo hospital na tarde de ontem, após antecipação do repasse da Prefeitura em R$ 1,7 milhão.

Parte da avenida São Paulo chegou a ser bloqueada pelos manifestante. Segundo a Urbes Trânsito e Transportes, o trafego no local já está normalizado.

De acordo com o Sinsaúde (Sindicato da Saúde dos Trabalhadores de Sorocaba e Região), o protesto é motivado pela falta de pagamento da segunda parcela do 13º. Não é a primeira vez que houve atraso na remuneração dos funcionários. “Por conta disso, muitos médicos estão indo embora. No dia 17, por exemplo, a UTI neonatal irá parar de funcionar por falta de médicos”, explica.

Os funcionários aguardam uma posição do hospital sobre o assunto em até 72 horas, caso isso não aconteça haverá uma greve geral.

De acordo com o presidente do Sinsaúde, Milton Sanches, o hospital não justificou o atraso no pagamento e nem deu um prazo para que a segunda parcela do 13º salário seja depositada.

Ele responsabiliza ainda a Prefeitura de Sorocaba que, segundo o sindicalista, não teria realizado o repasse deste mês, motivando assim o atraso no pagamento.

Segundo o Hospital Santa Casa de Misericórdia, de fato o pagamento está em atraso, mas a instituição já pediu à Prefeitura um adiantamento dos recursos contratuais para efetuar os pagamentos.

De acordo com o prefeito Antonio Carlos Pannunzio, o repasse foi determinado hoje de manhã.

Sobre a afirmação do sindicato de que a UTI Neonatal poderá ser fechada no dia 27 de dezembro por falta de funcionários, a Santa Casa garante que não há qualquer determinação de fechamento do setor e nem da Pediatria.

Este é o segundo protesto dos funcionários neste mês motivado pela falta de pagamento. Em 9 de dezembro, eles também fecharam a avenida São Paulo durante uma manifestação.

A Santa Casa de Sorocaba, por meio de sua assessoria de imprensa, informou que houve atraso no pagamento dos funcionários do hospital, motivado pelas dificuldades financeiras que afetam, não apenas o hospital de Sorocaba, como de resto todas as demais Santas Casas do País.

Ainda de acordo com a nota emitida pela assessoria, a direção da Santa Casa solicitou à Prefeitura da cidade um adiantamento dos recursos contratuais que só seriam liberados no dia 30 deste mês.

A assessoria ainda informou que não havia, até ontem, nenhuma reunião marcada com o sindicato, pois a instituição estava buscando informação sobre o caso e que não havia nenhuma determinação de fechamento dos setores de Pediatria e UTI Neonatal, como foi dito pelo sindicato.

Prefeitura nega atrasos: Em nota, a a Secretaria da Saúde de Sorocaba informou que o pagamento está dentro do prazo, mas que “está fazendo o possível para antecipar o repasse”.

O valor do repasse mensal à Santa Casa de Sorocaba, para manutenção do Pronto Socorro Municipal, é de R$ 1.811.390,21, sendo R$ 1.306.390,21 como componente pré-fixado, e R$ 505.000,00 como componente pós-fixado.

Este valor pós-fixado só é repassado pós-produção e está condicionado à apresentação e aprovação da prestação de contas.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul e Jornal Ipanema