Tags

,

Estas propostas apresentadas a seguir foram apresentadas na plenária final e foram aprovadas. O texto final de todas as 500 propostas já está alterado de acordo com os “destaques” recebidos. A numeração apresentada a seguir segue a sequência das propostas anteriores e NÃO corresponde ao número da proposta apresentado na plenária final, pois, além de ser uma sequencia das outras, as rejeitadas foram excluídas.

45. Melhorar a assistência prestada aos acamados, garantindo a infraestrutura necessária para efetivar ações oferecidas pelo programa.

46. Implantar em cada regional uma equipe de atendimento de saúde domiciliar.

47. Criar programa de reabilitação física nas Unidades básicas de saúde.

48. Intensificar e levantar o numero de deficientes físicos no município.

49. Facilitar o acesso dos deficientes aos serviços de saúde.

50. Aderir ao Plano Nacional dos direitos da Pessoa com deficiência (Viver sem Limite), através da implantação do CER (Centro Especializado em Reabilitação) e de melhorias de acesso em prédio públicos, garantindo a acessibilidade nas Unidades de Saúde às pessoas com diversos tipos de deficiência, física, visual, auditiva entre outros.

51. Criar serviço de reabilitação (pacientes com amputação) órteses e próteses, reabilitação de assoalho pélvico e serviço de estomas.

52. Implantar um sistema de acompanhamento do crescimento populacional da cidade, tendo em vista oferecer novos serviços de saúde.

53. Responsabilizar o poder público para garantir equipamentos sociais e toda infraestrutura no aumento da população.

54. Garantir o Direito Humano a Alimentação Adequada (DHAA) no ciclo da vida, com a implantação da Política Nacional de Alimentação e Nutrição (PNAN), do Conselho Municipal de Segurança Alimentar (COMSEA) e ESF com criação do NASF, conforme recomendação do Ministério da Saúde e OMS para atendimento no território regional de cada UBS.

55. Criar programa municipal de antitabagismo vinculando ao CRATOD – Centro de Referência de Álcool, Tabaco e Outras Drogas.

56. Criar um núcleo de doenças raras, adulto e infantil.

57. Criar e fomentar o trabalho educativo sobre planejamento familiar e educação alimentar pelos agentes comunitários de saúde.

58. Confeccionar uniformes para as agentes comunitárias de saúde.

59. Rever as questões trabalhistas a cerca do agente comunitário (insalubridade/periculosidade, uniforme, convênio médico).

60. Incluir agentes comunitários de saúde devidamente capacitados nas UBSs para ações com pacientes acamados, adolescentes dependentes químicos, pessoas com deficiência.

61. Ter alimentação para usuários que estão em observação nas UPHs.

62. Pleitear a implantação de um AME (Ambulatório Médico de Especialidades) na região norte.

63. Aumentar o horário de funcionamento da USF Ulisses Guimarães, assim como de todas as unidades da Região Norte, com presença de médico durante todo o horário de funcionamento.

64. Ampliar o horário de atendimento das UBSs.

65. Ampliar o horário e dias de atendimento das UBSs.

66. Montar comissão de auditoria local e/ou da SES para avaliação dos profissionais de cada área, inclusive com avaliação de prontuários e protocolos.

67. Treinar, acompanhar e fiscalizar os servidores públicos municipais.

68. Atualizar os Protocolos de todas as áreas de atenção à saúde do município de Sorocaba.

69. Fiscalizar a qualidade dos serviços prestados por prestadoras de um modo geral, melhorando o Termo de Referência para compra do serviço.

70. Criar comissão com representantes da população visando a transparência pública para com os processos licitatórios da prefeitura.

71. Criar uma base do corpo de bombeiro na zona norte.

72. Melhorar o atendimento dado pelo Hospital Oftalmológico para a população moradora da cidade e mais rapidez no atendimento e procedimentos cirúrgicos e um maior critério na avaliação médica nos casos urgentes e estéticos para que todos tenham direitos iguais.

73. Criar um atendimento de Urgência no Hospital Oftalmológico para os usuários da Cidade de Sorocaba onde não necessite de triagem através das UBSs e as UPHs.

74. Garantir mecanismos de regulação de especialidades e exames de média e alta complexidade que atendam em tempo hábil às necessidades do território como oftalmologia.

75. Instituir um fluxo rápido e fácil para tratamento de pessoas com câncer.

76. Formar um grupo de apoio e orientação principalmente aos portadores de câncer.

77. Implementar o programa de prevenção e controle do câncer.

78. Construir um hospital específico para tratamento de câncer do adulto.

79. Qualificar e capacitar os trabalhadores da saúde através de parcerias com universidades publicas, privadas e outras instituições.

80. Disponibilizar capacitação contínua em informática para todos os funcionários.

81. Oferecer incentivo educacional para funcionários com pouco estudo e bolsas de pós graduação para funcionários que concluíram o ensino superior.

82. Incentivar, disponibilizar e viabilizar a participação de funcionários da saúde e membros do Conselho Municipal de Saúde em congressos, fóruns, simpósios e cursos através de custeio com verba da SES, inclusive para os agentes de saúde.

83. Fortalecer a atenção primária/ básica e construção de novas unidades de saúde, com ambientes humanizados, com salas multiuso e salas para reunião comunitária adequadas a realidade local da UBS, com recursos humanos qualificados e motivados.

84. Aumentar, adequar, capacitar, valorizar e qualificar o profissional da saúde através de uma política de educação continuada.

85. Oportunizar estágios aos profissionais formados na região visando a melhoria futura dos atendimentos.

86. Ampliar á área de educação em saúde para que qualifique a equipe multiprofissional com conhecimentos técnicos científicos atuais, principalmente na abordagem de urgência e emergência.

87. Proporcionar treinamentos de forma continuada para toda a equipe de funcionários da saúde, ministrados por psicólogos ou profissionais afins, visando a formação e aprimoramento contínuos, para que sejam dotados de uma visão global do contexto onde estão inseridos e do importante papel que desempenham na resolutividade as necessidades pertinentes a promoção da saúde dos usuários.

88. Fomentar a promoção do diálogo constante entre a equipe de saúde, garantindo um espaço de comunicação otimizando a funcionalidade da equipe multiprofissional.

89. Garantir a capacitação dos profissionais de saúde para o preenchimento do quesito raça/cor nos diferentes cadastros e/ou formulários dos serviços.

90. Ampliar os horários de atendimento da Casa do Cidadão, incluindo o sábado.

91. Criar um Centro de Convivência diurno para o idoso.

92. Aperfeiçoar e melhorar as atribuições do CEREST e no programa de saúde do trabalhador.

93. Aperfeiçoar e melhorar as atribuições do CEREST e do programa de saúde do trabalhador, garantindo uma equipe multiprofissional e a criação de uma estrutura física própria e adequada Garantindo a atenção à saúde do trabalhador.

94. Aperfeiçoar e regulamentar as atribuições do CEREST, no programa de saúde do trabalhador e criar a Comissão Inter setorial da Saúde do Trabalhador.

95. Envolver o Conselho Local de Saúde em ações para esclarecer os usuários quanto à educação em saúde (SUS) e a utilização dos serviços adequadamente.

96. Fortalecer Conselho local de Saúde.

97. Estimular a atuação do Conselho Local no acompanhamento e fiscalização dos serviços de saúde do território, através da capacitação sistemática em controle social dos usuários interessados e Fortalecer os conselhos locais de saúde, através de capacitações e promover um entrosamento maior junto ao Conselho Municipal.

98. Regulamentar o Conselho Local de Saúde das UBSs.

99. Ampliar o número de representantes dos Conselhos Locais no Conselho Municipal de Saúde.

100. Realizar maior divulgação de reuniões de conselho local de saúde e retomar caixa de sugestões e reclamações.

101. Melhorar a comunicação das eleições e das reuniões dos Conselhos Locais de Saúde.

102. Informar com maior antecedência sobre a conferência municipal da saúde, possibilitando a elaboração de propostas em cada entidade.

103. Realizar as Reuniões do Conselho Municipal de Saúde quinzenalmente.

104. Aumentar a quantidade de conselheiros no Conselho Municipal de Saúde.

105. Criar Conselho Regional de Saúde.

106. Passar para 72 (setenta e dois) o número de conselheiros de saúde, sendo 36 (trinta e seis) titulares e 36 (trinta e seis) suplentes.

107. Garantir ao conselho municipal de saúde acesso sem restrições as informações relativas a administração dos recursos financeiros repassados aos prestadores (exemplo: Santa Casa, BOS, entre outros), com relatórios detalhados das despesas destas entidades, com possibilidade de intervenção.

108. Expor os critérios de nomeação para cargos Comissionados da Prefeitura.

109. Realizar prova interna para mudança de cargo (Concurso de Acesso).

110. Melhorar a atuação do Conselho Tutelar em relação às gestantes faltosas e aos Recém-nascidos.

111. Implantar mais unidades CRAS em parceria com as UBS.

112. Implantar programas, projetos e serviços de assistência social com base no que está previsto na política nacional.

113. Criar local específico para abrigar população transitória, que em sua grande maioria vem de outros municípios para atendimento no CHS/BOS e por falta de recursos financeiros próprios, pedem ajuda de custo nas proximidades.

114. Incorporar o assistente social nas unidades de urgência e emergência para atendimento de moradores de rua, pacientes psiquiátricos e com dificuldades sociais.

115. Apoiar a construção de um Centro de Referência de Assistência Social (CRAS). A equipe da zona oeste é insuficiente para atendimento da comunidade.

116. Apoiar o aumento do quadro de funcionários do Centro de Referência de Assistência Social – CRAS para auxilio dos jovens.

117. Cobrar dos pediatras o seguimento e recomendações da OMS em relação à amamentação.

118. Melhorar a qualidade das informações às mães sobre a amamentação e a importância do aleitamento materno.

119. Implantar Desfibriladores Externos Automáticos (DEA) em cada UBS e em locais públicos de grande fluxo de pessoas, assim como capacitar a população sobre seu uso.

120. Adquirir DEA (Desfibrilador Externo Automático) e treinar para uso nas Unidades de Saúde e Escolas.

121. Garantir que as crianças que necessitem serem encaminhadas para os serviços de Urgência e Emergência sejam avaliadas por uma equipe local (da UBS) que faça a referência.

122. Retorno do atendimento misto das UPHs e não direcionado a crianças ou adultos somente.

123. Criar brinquedoteca, playground nos serviços de saúde onde houver espaço físico.

124. Combater a prostituição infantil.

125. Garantir o apoio da prefeitura para atendimento das pessoas com dependência química.

126. Garantir o acesso aos usuários à rede de políticas sobre álcool e drogas.

127. Garantir atendimento multiprofissional na própria unidade às gestantes usuárias de drogas.

128. Criar programa local para apoio de familiares de usuários de drogas em conjunto com a roda de terapia.

129. Desenvolver uma politica de apoio às famílias de usuários de drogas e dependentes químicos por parte do poder público.

130. Dar suporte às famílias de gestantes dependentes químicas.

131. Implantar um projeto para prevenir a gravidez na adolescência e uso de drogas.

132. Implantar políticas públicas de planejamento familiar mulheres dependentes químicas.

133. Trabalhar a prevenção com relação ao uso de drogas na gestação, na infância e adolescência, violência doméstica e conscientização de não jogar lixo com relação a cada região, com o apoio da SEDU nas escolas.

134. Manter uma equipe para apoiar as pessoas e famílias daqueles que usam drogas e dependentes químicos, inclusive no período noturno, para recolher essas pessoas e dar assistência total, trabalhando uma politica pública de acolhimento e monitoramento de dependentes químicos e seus familiares, crianças e moradores de rua.

135. Manter um segurança na porta das escolas para coibir o uso de drogas.

136. Viabilizar articulação entre escolas, igrejas, centro de saúde e policiamento para discussão sobre uso de drogas.

137. Fortalecer as ONGs que trabalham com adolescentes usuários de drogas.

138. Intensificar palestras para a prevenção do uso de drogas nas escolas, setores da igreja e locais públicos, objetivando levar informação para a população do bairro, mostrando os efeitos nocivos que a droga pode proporcionar ao individuo, causando prejuízos a sua vida, seu trabalho e seus familiares.

139. Garantir vagas para internação de dependentes químicos.

140. Garantir como políticas públicas a redução de danos dos usuários de drogas.

141. Divulgar e fortalecer os trabalhos já existentes na redução de danos desenvolvidos com usuários de drogas com o uso de cartazes, folders, folhetos e propaganda.

142. Buscar recursos para realizar trabalhos de educação e prevenção a doenças sexualmente transmissíveis, focando os profissionais do sexo.

143. Oferecer mais “eco-pontos” distribuídos nos bairros.

144. Instalar eco pontos ou caminhão para recolher entulho.

145. Criação de canal com órgão competente para a solução em imóveis com acúmulo de lixo e entulhos, para pessoas declaradamente pobres.

146. Garantir a manutenção em prédios e/ou terrenos da Prefeitura.

147. Retomar o funcionamento do “cata-treco”, caminhão que passa pelas ruas para coletar coisas grandes que não usam mais.

148. Aumentar a fiscalização para coibir aquelas pessoas que ainda jogam lixo e entulhos em terrenos baldios, com colaboração efetiva do setor de controle das zoonoses inclusive dos terrenos que estão sendo utilizados como depósitos de sucatas. Instalar caçambas para recolher lixos que não sejam domésticos (ex: armários, sofás, etc.).

149. Recolher mensalmente lixos que os coletores não possam esta recolhendo sob a responsabilidade da Prefeitura.

150. Promover ações de educação ambiental com a população local visando a sensibilização a respeito da disposição correta de resíduos sólidos para melhorar a coleta seletiva.

151. Criar locais de eco ponto para coleta de entulho e orientar a população quanto ao uso correto do mesmo, manter a limpeza das áreas verdes e criação de programas para coleta seletiva e reativar o programa cata treco.

152. Diminuir desmatamento e aumentar o reflorestamento e melhorar a fiscalização.

153. Melhorar as condições sanitárias e de segurança das bacias de contenção.

154. Estimular a criação de ONGs (Organizações Não Governamentais) com politicas de reciclagem e comprometimento social, ampliando a coleta seletiva de reciclagem.

155. Garantir a limpeza de vias públicas e desenvolver uma politica de conscientização no auxilio aos serviços de limpeza, melhorando também o fluxo de coleta desses resíduos.

156. Apoiar a implantação de lixeiras nos pontos de ônibus.

157. Apoiar a implantação de um serviço de “disk entulho” para remoção gratuita, com prazo de no máximo oito dias para retirada.

158. Capacitar os profissionais da educação, para trabalhar com adolescentes, direcionando os mesmos para pratica de atividades físicas e cursos profissionalizantes.

159. Trabalhar desde a educação infantil nas CEI na prevenção do uso de drogas, através da integração da Saúde, da Educação e da Assistência social, divulgando e informando nas escolas sobre drogas e orientação sexual, a fim de prevenir a gravidez na adolescência, distribuindo preservativos nas escolas.

160. Oferecer a crianças e adolescentes ações de educação sexual em parceria com a secretaria de educação realizando palestras para jovens em diversos temas relativos a essa fase da vida, inclusive para prevenção de gravidez na adolescência com ginecologistas e outros profissionais.

161. Capacitar os educadores da rede Municipal de Educação no atendimento de Primeiros Socorros e Estreitar as relações entre secretaria da rede de educação Municipal e Secretaria da Saúde, focalizando a questão da sexualidade e nutrição.

162. Oferecer vagas escolares de 5a série à noite, para permitir continuidade do estudo às pessoas adultas.

163. Inserir de acordo com a lei 3688/00, multiprofissionais (psicólogos e assistentes sociais) para atendimento em todas as escolas.

164. Inserir uma matéria de Educação em Saúde no currículo escolar.

165. Garantir adequação nutricional da merenda escolar.

166. Implantar curso de medicina nas universidades públicas da cidade.

167. Fortalecer projetos de planejamento familiar nas escolas.

168. Garantir o direito a educação formal e educação em saúde de uma forma que se inclua uma equipe multiprofissional em todo o ciclo vital.

169. Aprimorar Programa Escola Saudável e sua integração com a UBS.

170. Ampliar nas UBSs de forma integrada com as escolas estratégias de planejamento familiar com ênfase na população de adolescentes.

171. Apoiar a disponibilização de mais recursos para Educação.

172. Fornecer os equipamentos de proteção individual (EPI), inclusive uniforme para os agentes comunitários de saúde.

173. Melhorar a segurança do trabalhador com: fornecimento de seringas retráteis, uniforme e EPIs.

174. Ampliar e priorizar cuidados para pacientes que tenham doenças cardiovasculares agudas que deem entrada nas unidades de urgência e emergência para reduzir as sequelas e fortalecer a linha de cuidado.

175. Que sejam desenvolvidas nas escolas ações para adoção de hábitos alimentares saudáveis nas merendas e nas cantinas.

176. Trazer academia ao ar livre para o bairro com profissionais da educação física / Implantar o cargo de educador físico na área da saúde.

177. Implantar banheiro público para usuários das pistas de caminhadas.

178. Conservar e manter pistas de caminhadas utilizadas pela comunidade.

179. Investir em campanhas de práticas esportivas e caminhada.

180. Construir pista de caminhada adequada às necessidades de pessoas de todas as idades, inclui-se ai, academias ao ar livre e sinalizações que se fizerem necessárias.

181. Criar quadra poliesportiva para jovens com pista de skate.

182. Criar a rotina de atividades físicas nas praças acompanhadas por profissionais com formação em educação física.

183. Melhorar as condições dos Centros Esportivos para a prática de atividade física.

184. Criar um programa que dê infraestrutura de lazer e bem estar social nas áreas públicas bem como a contratação de profissionais para a realização dos mesmos.

185. Criar mais áreas de lazer.

186. Garantir maior agilidade no atendimento cirúrgico ginecológico no Hospital Evangélico.

187. Evitar a falta de materiais de trabalho, melhorando o processo de compra e distribuição dos mesmos.

188. Disponibilizar mais medicamentos e em maior variedade (diversidade) nas farmácias municipais.

189. Ter um farmacêutico formado e técnico de farmácia, nas Unidades Básicas de Saúde e Pronto Atendimentos.

190. Ter o profissional especializado na área de farmácia: um técnico de farmácia ou farmacêutico. Criação do cargo de técnicos de farmácia para atendimento nas UBS e UPH/ PAs.

191. Diminuir a burocracia no fornecimento na farmácia popular.

192. Melhoria do Almoxarifado para evitar desabastecimento de materiais de enfermagem e medicamentos nas UBSs com a ampliação ou atualização da grade de medicamentos disponíveis para a população.

193. Não permitir que o paciente saia da unidade de saúde sem remédio, principalmente antibiótico para crianças e idosos.

194. Garantir à criança o início da tomada da primeira dose de antibióticos prescritos ainda na unidade de saúde.

195. Manter atendimento de farmácia do PA durante 24 horas.

196. Rever os itens da grade de medicamentos e facilitar o acesso.

197. Ampliar, melhorar e garantir a distribuição de medicamentos e insumos na farmácia da UBS.

198. Implantar e garantir a estratégia proposta pela campanha da Pastoral da Criança que preconiza iniciar na própria unidade de saúde a primeira tomada de antibióticos quando diagnosticado pneumonia, bem como efetivar a Política Municipal de Assistência Farmacêutica.

199. Implantar o Sistema HORUS (do Ministério da Saúde) no município de Sorocaba (Programa Nacional de Gestão da Assistência Farmacêutica).

200. Criar o cargo de auxiliar de farmácia para atuar na UBS, em substituição ao auxiliar de administração da farmácia, com farmacêuticos.

201. Permitir que o CAPS passasse a aceitar a receita azul do convênio.

202. Reduzir a carga horária dos fiscais de saúde pública de 8h para 6h conforme já prescrito na lei orgânica do município.

203. Criar súmula de atribuições exclusiva para profissionais da Vigilância Sanitária, considerados autoridades sanitárias.

204. Criar mecanismos que utilize o trabalho de agente de vigilância sanitária como auxílio à UBS (informação e ou dados).

205. Garantir a fiscalização de carros/motos e eventos que utilizam sons mecânicos acima do permitido, conforme a legislação.

206. Aumentar fiscalização dos comércios na utilização das calçadas.

207. Acrescentar convênio da FUNSERV à categoria de Agente Comunitária de Saúde.

208. Ter incremento e valorização da atenção básica (especialidades, profissionais qualificados para atender toda a demanda).

209. Que as pautas levantadas, sejam aprovadas não fiquem no papel.

210. Colocar uma Secretária na Unidade para ajudar a Coordenadora nas suas tarefas.

211. Criar estratégias para melhorar a fixação dos profissionais.

212. Instalar comissão interna permanente de adequações funcionais (mista de profissionais de saúde em conjunto com as secretarias de saúde e de recursos humanos).

213. Promover a territorialização para que os funcionários conheçam a região onde atuam.

214. Desenvolver programas referentes a saúde da mulher e do homem, inclusive palestras educativas.

215. Garantir que as Unidades de Pré-Hospitalares possam encaminhar cirurgias eletivas diretamente para o futuro Hospital Municipal de Sorocaba.

216. Priorizar os exames solicitados em Unidade Pré-hospitalar, encaminhados para agendamento prioritário e executado nas próximas 48 horas subsequentes.

217. Garantir ao cidadão o atendimento na sua integralidade e equidade, conforme prevê o sistema de saúde e garantir a saúde nos moldes da constituição federal de 1988.

218. Rever processos de trabalho, melhorando fluxo de atendimento com auxílio de um painel eletrônico.

219. Formar um grupo de enfermagem, que sirva de intercâmbio de ideias entre as unidades básicas de saúde.

220. Garantir que as propostas da conferência sejam viabilizadas.

221. Criar uma universidade pública de ciências médicas em saúde nos municípios com mais de 400 mil habitantes.

222. Exigir maior responsabilidade dos gestores e políticos quanto as politicas públicas de saúde e sanitária.

223. Implantar serviço de agendamento de consulta e exames por telefone.

224. Reavaliar a burocracia da saúde no município.

225. Padronizar e adequar as estruturas físicas das Unidades de Saúde com a participação dos profissionais da área de segurança do trabalho, bem como profissionais de saúde para auxiliar na elaboração dos projetos, garantindo a acessibilidade e mobilidade.

226. Ter as respostas no desenrolar desta gestão e determinar um prazo para estudo da implantação das propostas da 7ª Conferência Municipal de Saúde.

227. Garantir eficácia das ouvidorias.

228. Garantir infraestrutura mínima e adequada à realidade local nas unidades de saúde, com recursos humanos qualificados e motivados.

229. Substituir os médicos que não tem comprometimento.

230. Efetivar o controle de frequência e troca de plantão dos funcionários.

231. Melhorar a comunicação interna e social em todos os serviços da Prefeitura Municipal de Sorocaba.

232. Desenvolver uma politica de integração social entre as comunidades e poder publico.

233. Elaborar mecanismos para evitar faltas em consultas e exames.

234. Garantir e melhorar as políticas públicas de saúde com maior responsabilização sanitária por parte do poder executivo, gestores e equipes técnicas.

235. Dar autonomia a coordenação das UBSs, para tomar decisões necessárias, em beneficio a comunidade.

236. Aperfeiçoar o cartão de identificação do usuário do serviço de saúde com maior durabilidade.

237. Garantir uma vaga de consulta médica dentro de um prazo de 24 horas, em se tratando de falta do profissional.

238. Agilizar a construção do novo hospital municipal.

239. Construir um hospital na Zona norte, com a contratação de servidores públicos e garantindo a participação do controle social.

240. Construir um hospital Maternidade Municipal.

241. Manter um atendimento ágil (sistema de informação atualmente usado pela secretaria de saúde) ao usuário da rede de saúde pública, no tempo certo, humanizado, acolhedor e com equidade, realizado por profissional qualificado em ambiente limpo, confortável e acessível a todos e livre de qualquer discriminação.

242. Estimular o fortalecimento do vínculo e responsabilização do profissional médico para com paciente.

243. Reestruturar, ampliar e reorganizar as UBSs, fortalecendo a Atenção Básica, adequando às suas reais necessidades, com salas de reuniões, salas de espera com mais conforto ao usuário, com manutenção dos prédios e a transparência nos contratos e licitações.

244. Criar local de lazer e recreação para os idosos de fácil acesso.

245. Fortalecer e enfatizar o conselho municipal do idoso.

246. Criar vagas institucionais de longa permanência para idosos em situação de vulnerabilidade.

247. Criar setores específicos para o atendimento de idosos nas unidades de urgências e emergências e nas UBSs.

248. Ampliar as casas do idoso.

249. Instituir um programa de saúde do idoso incentivando a criação de centros de convivência e atividades para idosos.

250. Instituir jogos para estimular a função mental e motora dos idosos.

251. Criar programa específico do idoso de vigilância em saúde, não tratando só a doença.

252. Ter um geriatra nas unidades onde houver mais idosos.

253. Oferecer tratamento diferenciado mais respeitoso para quem tem qualquer tipo de deficiência.

254. Enfatizar campanha para a busca de novos casos de hanseníase.

255. Facilitar o acesso da população a central de regulação e a ouvidoria. Melhorando a divulgação do serviço, criando também um sistema ouvidoria vai ao bairro e descentralizar o serviço para casa do cidadão.

256. Realizar treinamento para os cuidadores.

257. Destacar continuamente (ou sempre que possível) a responsabilidade e dever dos pais ou responsáveis quanto à educação global dos filhos em conjunto com os serviços públicos.

258. Desenvolver projetos, nas unidades básicas e escolas, voltados para a educação sexual da criança e do adolescente.

259. Implantar forte campanha permanente quanto à educação alimentar.

260. Realizar campanhas de conscientização sobre dengue e drogas, principalmente nas escolas.

261. Divulgar eventos para a comunidade com 1 (um) mês de antecedência, estimulando a participação popular nas reivindicações.

262. Incentivar a participação popular e melhorar a forma de divulgação dos eventos públicos realizados.

263. Conscientizar pais sobre a importância de dar mais de seu tempo na educação de seus filhos, não passando a responsabilidade apenas para escola.

264. Melhorar a comunicação entre o serviço de saúde e o paciente em relação a exames, cirurgias e consultas.

265. Criar senhas eletrônicas para atendimentos nas UBSs.

266. Implantar a informatização de documentos e receitas médicas.

267. Instituir adicional de periculosidade para os administrativos da saúde.

268. Reivindicar o adicional de periculosidade para o agente comunitário de saúde.

269. Proporcionar adicional de insalubridade a todos os funcionários da saúde que trabalham em contato com pacientes.

270. Garantir que o paciente que estava internado, ao ter sua alta hospitalar, seja priorizado pelo sistema de saúde e já saia do hospital com um encaminhamento e/ou receita e/ou agendamento nos outros serviços garantindo continuidade do atendimento e maior agilidade com a prioridade necessária para cada caso.

271. Fazer a integração entre as unidades de saúde como: UBSs, PAs, Policlínica, SAMU, CAPS, Central de regulação para ter comunicação igualitária e agilizar o tempo de resolução.

272. Melhorar a comunicação entre as unidades CAPS, Policlínica, Laboratórios e demais parcerias.

273. Melhorar a articulação entre os serviços das U.B.S. e os serviços de Urgências e Emergências.

274. Garantir acessibilidade a todas as pessoas com necessidades especiais em conjunto com a Secretaria de Obras envolvendo o Código de Posturas, colocando sinal de pedestre (inclusive sonoro) e também ciclistas, principalmente na área central, com segurança para travessias de pedestres no acesso as Unidades Básicas de Saúde.

275. Participação efetiva dos representantes da saúde na articulação da rede de serviços na promoção intersetorialidade.

276. Criar um espaço físico de lazer para a Região Norte, onde a secretaria da Cultura, Saúde, Educação, Serviço Social, Meio Ambiente e de Esporte possam atuar em sintonia.

277. Garantir treinamento e formação de pessoas habilitadas para acompanhar família e ou idoso , com suporte necessário como atendimento médico em casa, remédios e material higiênico, através da criação de um projeto de cuidador de idoso pela Secretaria de Cidadania (desenvolvimento social).

278. Criar articulações para ajuda aos grupos voluntários da comunidade que realizam visitas aos doentes do bairro.

279. Construir locais com Brinquedos ao ar livre adequado para crianças (proporcionar lazer, cursos e reforço escolar para crianças de 5 a 10 anos), ampliar estratégias voltadas para os adolescentes, e qualificar os profissionais para este fim. Aumentar as oficinas do território jovem, assim como cursos de capacitação para o mercado de trabalho na comunidade.

280. Criar um programa de economia doméstica para a população.

281. Criar um centro de convivência que ofereça à população atividades físicas, de lazer, artesanais e culturais, implantar centro cultural (ex: teatro, dança, palestras e educativas, etc.).

282. Melhorar a infraestrutura dos bairros: água encanada, esgoto, coleta de lixo, pavimentação, energia elétrica e internet.

283. Fiscalizar obras/imóveis em reforma/casas abandonadas com propósito de evitar problemas de saúde pública, como a dengue, acidentes de trabalho e não gerar abrigos para usuários de drogas.

284. Trabalhar as questões de saúde em parceria com as demais Secretarias Municipais.

285. Estreitar relação entre Secretaria da Saúde e de Educação para emissão de atestados e laudos dos alunos, por conta de justificativas do programa bolsa família.

286. Promover a intersetorialidade fortalecendo a integração entre as áreas de saúde, educação, meio ambiente, cultura, ONGs e desenvolvimento social com as políticas públicas de saúde, para interferir nos determinantes e condicionantes da saúde.

287. Apoiar a disponibilização de vagas na UNITEN que contemplem artesanato para geração de renda.

288. Realizar trabalho em rede entre a educação e saúde local – comunicação, acesso e serviços.

289. Melhorar as políticas públicas com ações intersetoriais para com os jovens infratores dando-lhes possibilidade

de mudança através de recursos da educação, como exemplo cursos profissionalizantes.

290. Criar uma maior integração entre UBSs e entidades públicas.

291. Normatizar as ações educativas sobre temas ligados a saúde, direta ou indiretamente, a serem realizadas mensalmente por profissionais de diversos setores da Prefeitura de Sorocaba convidados previamente.

292. Apoiar a criação de cursos de capacitação profissional na Casa do Cidadão no horário Noturno e atividades educativas para todas as idades.

293. Pactuar efetiva retaguarda e responsabilidades em saúde entre os municípios.

294. Criar espaço físico e programas de Saúde e Lazer voltados aos adolescentes.

295. Criar em parceria com a SECULT para oferecer cursos de teatro e música para jovens e criar em parceria com a Secretaria do Esporte para oferecer escolas de futebol, vôlei e outras modalidades.

296. Implantação da Casa do adolescente no Município.

297. Implementar políticas de conscientização de jovens e adolescentes sobre o respeito e o zelo pelo patrimônio público.

298. Desenvolver trabalho social de apoio aos jovens e adolescentes.

299. Criar e fortalecer projetos para jovens e adolescentes não ficarem ociosos.

300. Implantar como política pública a formação de jovens multiplicadores para as ações de prevenção relacionadas à sexualidade, DST/AIDS, uso de drogas e cultura da paz e ações junto aos adolescentes, cumprindo medidas socioeducativas.

301. Elaborar atividades para adolescentes.

302. Apoiar o fortalecimento do território jovem investindo na formação e desenvolvimento dos mesmos melhorando a qualidade de vida.

303. Apoiar a criação de meios de incentivo a cultura às crianças e adolescentes, com projetos que motivem os jovens, como exemplo o “Projeto Guri”.

304. Criação de um laboratório municipal na zona norte.

305. Descentralizar os serviços do Laboratório Municipal, criando novos postos de coleta, um para a Zona Norte e outro para a Zona Oeste, especificamente para os exames que não são realizados, pois o fluxo é centralizado no Laboratório Municipal.

306. Implantar um Laboratório por Regional de Saúde.

307. Realizar coleta de material de imediato para exames laboratoriais em casos de pessoas com problemas mais graves, diminuir tempo de espera para a realização de exames laboratoriais e do recebimento de resultados.

308. Garantir que os exames eletivos sejam agendados e com os resultados em até quinze dias.

309. Realizar no máximo em 30 dias os exames complementares solicitados pelos médicos em laboratórios ou afins de confiança ao paciente.

310. Diminuir o tempo de espera para resultados de exames laboratoriais.

311. Criar agendamentos de exames colhidos no LABAC visando a diminuição da espera pelos usuários.

312. Tornar os resultados de exames dos Laboratórios Municipal e conveniados mais confiáveis.

313. Melhorar o atendimento médico com olhar ampliado e pedido de exames e dar acesso para as mulheres mais jovens a fazer mamografia.

314. Aumentar o número de equipamentos de ressonância magnética.

315. Divulgar o número de exames laboratoriais realmente realizados pelo sistema da prefeitura ou pelos laboratórios contratados, inclusive os custos.

316. Dotar o sistema de saúde municipal de um Centro de Diagnóstico exclusivo, próprio ou terceirizado, com os seguintes equipamentos: tomógrafo “multi-slice”; aparelho de RX digital; mamógrafo digital, ultrassom; ecocardiograma; eletrocardiograma; densitometria; espirometria e audiometria.

317. Garantir à UBS serviço de apoio e diagnósticos (Raio x, exames de especialidade, geriatra, cardiologista, de acordo com as necessidades de cada área).

318. Ampliar a coleta de exames laboratoriais da UBSs sendo possível atender todas as faixas etárias.

319. Garantir e reformular a rede de serviços de apoio diagnóstico municipal, de forma a agilizar os resultados de exames e garantir acesso imediato da população aos profissionais solicitantes.

320. Fornecer lanche coletivo para eventos da caminhada.

321. Divulgar e conscientizar a população a respeito do bom uso dos contêineres, sob a responsabilidade da prefeitura.

322. Ampliar e melhorar a qualidade da infraestrutura e saneamento básico, Disponibilizar mais contêineres conforme estabelecido em contrato (coleta de lixo, eco-ponto).

323. Agilizar e garantir a manutenção de equipamentos e predial, das Unidades de Saúde e Escolas, em tempo oportuno.

324. Instituir de forma plena no município o programa rede cegonha como estratégia de saúde, operacionalizada pelo SUS, fundamentada nos princípios da humanização e assistência, onde mulheres, recém nascidos e crianças tem direito ao pré-natal, transporte para o parto, vinculação da gestante ao local de parto e nascimento humanizados e seguros, acompanhante no parto , atenção à saúde da criança e acesso ao planejamento reprodutivo.

325. Melhorar atenção da saúde da mulher em questão de exames específicos na pré menopausa.

326. Ampliar o horário de atendimento da saúde da mulher e exames de prevenção após as 17 horas.

327. Oferecer à população no Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF): nutricionista, fisioterapeuta, fonoaudióloga e orientador esportivo.

328. Garantir profissionais e equipamentos para realização de visita domiciliar da odontologia para os pacientes acamados.

329. Ampliar carga horária de dentistas para contemplar todo o horário de funcionamento da unidade, visando atendimento de demanda espontânea.

330. Criar um centro odonto-geriátrico com exames específicos, se possível no posto.

331. Melhorar a questão técnica e humana do profissional de odontologia.

332. Adequar as UBS para que realize procedimentos odontológicos mais complexos, para minimizar encaminhamentos para a policlínica.

333. Garantir a participação e opinião da equipe de saúde bucal na seleção e compra de materiais odontológicos e a distribuição efetiva conforme solicitação.

334. Construir clínica odontológica na área de abrangência da UBS Nova Sorocaba e em todo o município de Sorocaba.

335. Ter um profissional ASB por dentista.

336. Ampliar o atendimento odontológico da unidade com aumento da equipe profissional, incluindo as Auxiliar de Saúde Bucal.

337. Oferecer mais vagas nas especialidades odontológicas.

338. Ampliar o acesso ao atendimento odontológico nas UBSs e outros ambulatórios, para um tempo de espera máximo de 15 dias.

339. Pedir auxílio para os módulos odontológicos virem atender as crianças na escola.

340. Ampliar o atendimento dos trailers e módulos odontológicos de forma a fixá-los e melhorar a cobertura odontológica da comunidade.

341. Garantir profissionais para realizar endodontia na UBS.

342. Garantir profissionais para realizar endodontia no CEO.

343. Descentralizar o atendimento das especialidades odontológicas.

344. Ampliar o atendimento odontológico de urgência das UPHs para 24h.

345. Garantir transporte público passando em frente às Unidades Básicas de Saúde. (Norte 3)

346. Disponibilizar ou construir espaço público com salas multiuso, que abrigue ações intersetoriais (saúde, desenvolvimento social, educação, esporte entre outros) em todos os territórios com quadra poliesportiva, cozinha experimental, salão de eventos, sala de atendimento, para uso dos órgãos públicos e dos grupos organizados da população.

347. Fazer parcerias com faculdades nas áreas de atuação de saúde.

348. Fortalecer parceria da saúde com a educação, garantindo a participação nas ações da saúde a população, inclusive nos encontros intersetoriais.

349. Melhorar a divulgação dos cursos da UNITEN e ampliar a oferta de cursos profissionalizantes além dos oferecidos pela UNITEN.

350. Criar parque infantil com brinquedos.

351. Adequar manutenção do Parque das Águas, como instalar filtros para evitar cheiro ruim, transplantar arvores para garantir mais espaço de sombra e conforto, limpeza diária com presença de funcionários.

352. Criar casas das gestantes junto aos hospitais, para suporte às mães e alojamento conjunto.

353. Disponibilizar pediatras em todas as unidades de pronto atendimento, independente da região.

354. Melhorar a assistência da gestante na Maternidade da Santa Casa de Sorocaba no momento do parto.

355. Garantir o acompanhamento pós-parto.

356. Garantir e qualificar o atendimento da demanda de partos normais no município de Sorocaba.

357. Manter atendimento pediátrico em todos os Pronto Atendimentos.

358. Manter o atendimento pediátrico na UPH Zona Norte.

359. Reavaliar a permanência dos pediatras na UPH da Zona Norte.

360. Adquirir inovação tecnológica para assistência á saúde nas Unidades Básicas de Saúde, como computadores, senha eletrônica, ultrassom, equipamentos odontológicos, oxímetro de pulso, eletrocardiógrafo, bilirrubinômetro, venoscópio, equipamentos de fisioterapia, desfibrilador, balanças digitais, esfigmomanômetros, estetoscópios, aspiradores, além de mobiliário e relógio ponto com emissão de comprovante para o funcionário.

361. Descentralizar o atendimento para especialidades com maior demanda reprimida para cada colegiado de gestão.

362. Criar duas novas policlínicas para melhorar o fluxo de atendimento aos munícipes mais próximos de sua residência.

363. Descentralizar consultas especializadas criando novos centros ambulatoriais.

364. Melhorar o acesso a procedimentos cirúrgicos de média e alta complexidade agilizando o agendamento e realização.

365. Garantir mais agilidade na marcação das audiometrias, seguindo critérios de risco através da central de regulação.

366. Implantar serviço de fisioterapia no município de Sorocaba, com parcerias com outros serviços e Universidades e Faculdades.

367. Aumentar vagas para especialidades.

368. Aperfeiçoar a distribuição de vagas, na central de regulação, de acordo com a demanda reprimida de cada UBS.

369. Implantar Unidades Regionais em atendimento de especialidades, urgência e emergência.

370. Melhorar o fluxo para especialidade, inclusive com garantia de exames complementares em menor tempo, agilizando as consultas de especialidades oftalmológicas, cirurgias de cataratas, fonoaudiologia e os exames de endoscopia.

371. Fortalecer o sistema de referência e contra referência inclusive intensificando as informações / orientações aos usuários.

372. Melhorar o controle e agilidades nos encaminhamentos de guias para especialistas.

373. Aperfeiçoar o atendimento das especialidades na Policlínica, podendo realizar troca dos faltosos com memorando para efetividade dos atendimentos.

374. Agendar no mesmo dia consulta com especialista quando encaminhado pelo médico da UBS, segundo critérios de risco.

375. Contratar mais dentistas para Policlínica, agilizando o processo de agendamento.

376. Aumentar o número de oftalmologistas na rede municipal de saúde.

377. Garantir maior agilidade na marcação de consultas com neurologista.

378. Colocar um aparelho de eletrocardiograma nas unidades básicas de saúde.

379. Especialista para atender pacientes diabéticos, obesos, hipertensos entre outros.

380. Realizar mutirões para atender as demandas reprimidas de todas as especialidades, com espera de mais de 60 dias.

381. Realizar atendimento na policlínica somente para pacientes do Município de Sorocaba.

382. Agilizar processo para cirurgia de laqueadura e vasectomia.

383. Aumentar número de especialistas na rede de saúde.

384. Contratar maior número de profissionais médicos especialistas, contratação de serviços de exames de alta complexidade e/ou realização de mutirões a cada 3 meses para atendimentos dos pacientes em casos específicos das especialidades.

385. Realizar cobertura dos profissionais especialistas em caso de: exoneração, férias e licenças. Melhorando o acesso da população as especialidades médicas, priorizando as urgências e fiscalização dos municípios que

prestam o atendimento ao usuário da cidade de Sorocaba.

386. Ampliar, descentralizar e melhorar a estrutura da policlínica e avaliar o uso do serviço por pacientes de outros municípios.

387. Diminuir o encaminhamento indiscriminado (sem necessidade) para consulta com especialistas.

388. Dar o direito ao paciente de escolher o médico que vai atendê-lo, quando encaminhado para consulta com especialistas, de acordo com os disponíveis pelo SUS.

389. Melhorar acesso ao atendimento dos prestadores do SUS, inclusive CHS e BOS, diminuindo o tempo de espera, priorizando o agendamento e avaliação cirúrgica.

390. Ampliar áreas de lazer (pista de caminhada com academia ao ar livre e brinquedos infantis a partir do levantamento das áreas públicas possíveis).

391. Aumentar campanhas preventivas.

392. Voltar o atendimento médico para o processo preventivo em vez de somente curativo.

393. Investir na prevenção de Diabetes e Hipertensão Arterial em todas as faixas etárias, visando identificar precocemente o diagnóstico dessas doenças.

394. Fortalecer a participação comunitária nas ações de combate e prevenção a dengue, levando em consideração de que grande parte (em torno de 80%) dos criadouros do mosquito aedes aegypti estão dentro das residências.

395. Reforçar a articulação do gestor de saúde com as associações, escolas, etc., visando ações de promoção de saúde, com maior valorização dos profissionais que trabalham na área da saúde.

396. Criar a “Semana de Combate a Depressão”.

397. Organizar um trabalho de controle e prevenção de hipertensão e diabetes nas Associações presentes no território.

398. Implantar a vacina HPV nas UBSs.

399. Criar unidade móvel de vacinação para atendimento do município e levar a vacinação até as pessoas/

trabalhadores/escolas.

400. Melhorar a divulgação de campanhas de vacinas e mutirões de atendimento na mídia.

401. Implantar comissão para o controle e orientação para prevenção de infecções relacionadas aos serviços de saúde, capacitando os profissionais das UBSs e serviços de urgência e emergência.

402. Implantar trabalhos de grupo multiprofissional com enfoque à qualidade de vida para crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos contemplando avaliação física periódica em parceria com escolas e sociedade civil.

403. Dispensar maiores investimentos financeiros na prevenção e promoção da saúde.

404. Ampliar as estratégias de promoção de saúde através da criação de núcleos regionais de educação popular em saúde.

405. Realizar ações de promoção em Saúde em conjunto com a população.

406. Criar cargos específicos para as profissões que atua em Unidades de Saúde da Família para adequar a jornada de 8 horas/ dia, e não mais ter horas suplementares, para terem incorporadas ao salário base as gratificações.

407. Criar mais ações de promoção e prevenção na atuação da Estratégia de Saúde da Família, para problemas específicos de cada área.

408. Ampliar e descentralizar o Programa Médico da Família (acamados).

409. Ampliar a Estratégia Saúde da Família priorizando os bairros de maior vulnerabilidade.

410. Implementar equipe de Núcleo de Apoio à Saúde da família (NASF) em diversos bairros para facilitar acompanhamento e encaminhamento dos usuários.

411. Vincular associações e grupos aos trabalhos da saúde, preferencialmente com o programa de Estratégia Saúde da Família.

412. Solicitar ao poderes públicos que garantam a infraestrutura mínima e adequada à realidade local nas unidades de saúde, com recursos humanos qualificados e motivados.

413. Realizar concurso público específico para profissionais administrativos com nomenclatura diferenciada (especificando que é para trabalhar na área da saúde) e carga horaria de 6 horas.

414. Garantir recursos humanos necessários ao funcionamento do serviço de saúde com perfil adequado aos pilares do SUS, que sejam valorizados e que tenham segurança para trabalhar.

415. Disponibilizar profissionais para acompanhar os projetos sociais (caminhada, adolescentes, etc.).

416. Dimensionar a quantidade de profissionais nos serviços de saúde conforme estabelecido em diferentes conselhos de classes.

417. Aumentar a quantidade de servidores nas áreas administrativas e de enfermagem da Unidade Básica de Saúde.

418. Criar os cargos de auxiliar de farmácia e recepcionista para as Unidades Básicas de Saúde.

419. Garantir a criação de cargos das 14 profissões da saúde reconhecidas pelo Conselho Nacional de Saúde e ampliar o número de funcionários adequando às resoluções e aos parâmetros propostos pelos diversos conselhos de classe.

420. Ampliar o quadro da equipe profissional das vigilâncias sanitária, epidemiológica e zoonoses para desenvolver a descentralização.

421. Garantir que o quadro de funcionários esteja atualizado com o plantão vigente de todas Unidades de Saúde.

422. Caracterização do cargo de enfermeiro estoma terapeuta.

423. Caracterização do cargo de enfermeiro do trabalho.

424. Diminuir demanda local reprimida contratando novos médicos.

425. Oferecer consultas especializadas em geriatria, ortopedia, psicologia e prótese dentária na Unidade Básica de Saúde; casa municipal de repouso, centro de convivência para idosos com estrutura para atividade física no bairro.

426. Aplicar a “Lei antirruído” na cidade.

427. Coletar e tratar 100% do esgoto.

428. Promover ação permanente de limpeza de boca de lobo para evitar a proliferação de roedores.

429. Garantir clínico e pediatra durante todo horário de funcionamento da UBS.

430. Ampliar o quadro de funcionários das Unidades Básicas de Saúdes e UPHs: Administrativos, Enfermagem, Médicos, Dentistas e Auxiliar de Saúde Bucal.

431. Aumentar quadro de RH existente na UBS, com inclusão de equipe interdisciplinar e outras especialidades médicas, com maior valorização dos profissionais que trabalham na área de saúde.

432. Ampliar as equipes multiprofissionais nas Unidades de Saúde incluindo educadores físicos, fisioterapeutas, psicólogos, assistentes sociais, farmacêuticos, nutricionistas, terapeuta ocupacional, agentes comunitários, especialidades medicas e odontológicas, e outros que possam ser necessários, atendendo a demanda gerada no município dentro do princípio da universalidade, com atenção integral à saúde de forma humanizada e com equidade.

433. Viabilizar escala para cobertura médica nos períodos de férias e licenças.

434. Ter um psicólogo por turno nas Unidades de Saúde para acolher os problemas de conflito, tanto de funcionários, como para os pacientes que procuram o posto.

435. Incorporar o mais breve possível à equipe de cada UBS de Sorocaba, um psicólogo em período integral oferecendo atendimento psicológico nas modalidades: individual, familiar, psicodiagnóstico compreensivo, orientação psicológica e atividades em grupo, de acordo com a necessidade que se apresente, cobrindo toda a faixa etária dos usuários.

436. Garantir acesso a processo de remoção para administrativos da rede municipal.

437. Contratação de um psicólogo para cada Regional, para atuarem diretamente com os funcionários da área da saúde, podendo evitar suicídios e depressões.

438. Criar e implantar uma estratégia de cuidar de cuidador profissional de saúde, como terapias e cuidados holísticos dos trabalhadores assistenciais.

439. Garantir condições de trabalho e respeito ao trabalhador de saúde.

440. Garantir a saúde física, mental e psicológica da equipe de saúde das UBSs e UPHs por meio de atividades que se evidenciem necessárias.

441. Criar e efetivar imediatamente programas de valorização dos trabalhadores de saúde que cumprem com responsabilidade e dedicação o bom atendimento a população, ter plano de carreira para os profissionais da área da saúde, incluindo administrativo.

442. Acrescentar gratificação/ diferenciação a todos profissionais que trabalhem 40h semanais em unidades com Estratégia de Saúde da Família, incluindo Técnicos e Auxiliares administrativos, Agentes Comunitários de Saúde, Médicos e Dentistas.

443. Criar um plano de carreira, específico para área de saúde, incluindo curso de especialização e educação permanente para todos os profissionais. Além de capacitar os profissionais, no atendimento ao usuário de drogas.

444. Rever o plano de carreira em linha vertical, principalmente para os profissionais da enfermagem e administrativos.

445. Fazer equiparação salarial dos enfermeiros com as outras categorias de nível superior (médico e dentista).

446. Pagar um auxílio creche aos servidores públicos.

447. Apoiar a construção de creches para filhos de funcionários municipais.

448. Aumentar o salário base dos Agentes Comunitárias de Saúde e dos Auxiliares Administrativos.

449. Pagar um auxílio deslocamento ao servidor público.

450. Reduzir carga horária dos enfermeiros para 4 horas como outros profissionais de nível superior da UBS e dar um aumento salarial.

451. Fazer equiparação salarial de todos profissionais de nível universitário da Prefeitura.

452. Facultar ao funcionário escolher se vai fazer banco de horas ou receber as horas extras (para os funcionários da Secretaria da Saúde).

453. Valorizar o profissional da saúde, principalmente o profissional médico, com média salarial da região.

454. Garantir valorização salarial para os auxiliares e técnicos administrativos, incluindo a insalubridade para os mesmos que trabalhem nas Unidades Básicas de Saúde e Pronto Atendimentos, além de igualar a carga horária, ao das equipes de enfermagens, que é de trinta horas semanais.

455. Garantir valorização salarial do profissional que atua na área de saúde, que possua títulos de especialização reconhecido por órgão oficial.

456. Realizar equiparação salarial das ASBs (Auxiliares de Saúde Bucal) com a equipe de técnicos de enfermagem.

457. Realizar valorização financeira dos profissionais da saúde (auxiliar e técnico de enfermagem, aux. Administrativo e enfermeiros).

458. Aumentar a divulgação de informações sobre anemia falciforme, tanto para profissionais como para a população.

459. Realizar maior fiscalização dos profissionais liberais quanto a licença de saúde na UBS e trabalhando em seu consultório e também horário de trabalho simultâneo.

460. Igualar as categorias de saúde em nível superior na discussão de aumento salarial, garantindo a isonomia.

461. Criar e efetivar imediatamente, programas para a valorização e melhorar a remuneração dos trabalhadores de saúde, inclusive administrativos, que cumprem com responsabilidade e dedicação o bom atendimento a população, através de uma política de cargos, salários e insalubridade.

462. Implantar a “Terapia Comunitária Integrativa” como estratégia de cuidado para prevenção e promoção da saúde.

463. Compor uma mini equipe dentro da UBS com intuito de apoiar os colaboradores da UBS na assistência em saúde mental da comunidade.

464. Garantir assistência em rede da atenção psicossocial em todos os seguimentos.

465. Construir mais CAPS AD 24 horas.

466. Criar mais CAPS III.

467. Implementar e reestruturar a Assistência à Saúde Mental municipal em consonância com Política Nacional de Assistência à Saúde Mental.

468. Criar CAPS III (AD, geral e infanto-juvenil) e leitos psiquiátricos no hospital geral e garantir o acesso ao tratamento e acompanhamento de dependentes químicos e seus familiares.

469. Implantar programa “Terapia Ocupacional” nas UBSs.

470. Implantar novas residências terapêuticas de acordo com a necessidade do município.

471. Aumentar o número de profissionais da área de saúde mental, descentralizar o serviço do ambulatório de saúde mental e a distribuição de medicamentos, aumentar os grupos de terapia comunitária e profissionais de saúde afetiva e emocional, distribuir o medicamento independente da origem da receita.

472. Ampliação do número de vagas em saúde mental.

473. Melhorar o atendimento da Santa Casa.

474. Cobrar da Santa Casa, melhores recepções e materiais para locomoção como cadeiras de rodas, macas, etc.

475. Melhorar retaguarda do SAMU para o atendimento das urgências e transferências.

476. Agilizar o atendimento do SAMU.

477. Cobrar dos órgãos competentes de segurança pública melhor eficácia no seu trabalho e a ampliação do videomonitoramento. Aumentar o policiamento na região das escolas, no horário de entrada e saída dos alunos.

478. Melhorar a segurança pública quanto iluminação, ronda policial (extensão do horário) e articular instalação de postos policiais em lugares estratégicos.

479. Instituir segurança nos prédios públicos durante o dia e a noite com instalação de câmeras de segurança e monitoramento à distância.

480. Garantir a segurança nos postos de saúde e reativar o projeto de monitoramento para postos de saúde e escolas protegendo pessoas e o patrimônio público.

481. Melhorar a segurança patrimonial das UBSs e escolas.

482. Garantir a segurança e o policiamento na Unidade Básica de Saúde e no território, com o propósito de garantir a integridade de trabalhadores, usuários e moradores.

483. Melhorar as condições de iluminação e de segurança pública.

484. Melhorar o contingente de equipe de segurança dentro das unidades de saúde. Rever orçamento para que possibilite a presença da guarda municipal nas unidades básicas de saúde. Ampliação da ação operação delegada para a região.

485. Garantir segurança e vigilância para trabalhadores e usuários da Saúde, nas unidades que terão seu horário ampliado.

486. Implementar o programa de prevenção e controle das doenças da síndrome metabólica.

487. Implementar terapias naturais como: acupuntura, homeopatias etc., que são terapias holísticas (visão do ser humano na sua totalidade) já contempladas por Lei Municipal, que são de baixo custo e que diminuem medicações como analgésicos, anti-inflamatórios, psicotrópicos entre outros. Seria prerrogativa a necessidade de pelo menos um terapeuta trabalhando 8h ao dia para atender a população e também para complementar a visão holística da equipe de saúde da família.

488. Valorizar a fitoterapia através da inclusão de ervas medicinais e medicações naturais.

489. Não haver terceirizações nas unidades de saúde de Pronto Atendimento e UBSs.

490. Não permitir terceirização da saúde para instituições filantrópicas e privadas.

491. Construir horta comunitária em alguns terrenos públicos.

492. Verificar antes de agendar se a pessoa tem a condições e quer passar pelo atendimento ou exames quando a vaga disponível for em outro município. Caso deseje e não tiver condições de ir por conta própria, que a prefeitura arque com as despesas.

493. Reagendar os retornos das consultas feitas fora do município, através do posto de saúde e não pelo paciente.

494. Garantir transporte com motorista para as equipes de saúde desempenhar suas ações no território.

495. Melhorar a agilidade no transporte de pacientes encaminhados para as especialidades pelas ambulâncias no retorno dos pacientes para suas casas.

496. Incluir serviços de ambulância nas UBSs e fazer o serviço da ambulância levar o paciente ao seu destino e trazer de volta à sua casa.

497. Descentralizar as ambulâncias com base nos bairros para que o tempo de respostas das ocorrências seja mais rápido.

498. Ampliar e descentralizar o transporte de pacientes de baixa complexidade.

499. Viabilizar os transportes de pacientes para as UPHs, com a centralização do atendimento.

500. Avaliar e melhorar as rotas do transporte público e privado, o tráfego, recapeamento/pavimentação e a sinalização de vias.

501. Criar pontos de ônibus na porta das unidades básicas de saúde associado a estudos técnicos que possibilitem essa implementação.

502. Aumentar a frota de ônibus coletivos nos horários de pico do transporte público, aos sábados, domingos e feriados, nos dias de pagamento e nos horários de aula.

503. Garantir transporte gratuito para os funcionários que trabalharem até a meia-noite nas unidades de saúde.

504. Fornecer transporte gratuito para eventos mensais da caminhada.

505. Fornecer condução para levar idosos nas suas atividades (passeios, jantar dançante…).

506. Fornecer transporte especial para pessoas sem condições de se locomover ou necessidades especiais irem às consultas médicas.

507. Melhorar os transportes sanitários (transporta pacientes para tratamento em outro município).

508. Garantir que o agendamento de ambulância seja feito de forma mais direta.

509. Garantir a consulta de retorno quando necessário.

510. Adequar as UBSs às normas de Vigilância Sanitária (ambientes insalubres).

511. Construir mais salas em todas as unidades de saúde para que os especialistas trabalhem nos bairros.

512. Construir mais consultórios odontológicos, escovódromo, fraldário e sala de amamentação nas Unidades Básicas de Saúde.

513. Aumentar o número de Unidades Básicas de Saúde em Sorocaba.

514. Realizar fiscalização e melhorias nos prédios das Unidades Básicas de Saúde.

515. Incluir outros locais para atendimento dos ônibus Rosa e Azul.

516. Instalar uma unidade móvel para fornecer o serviço de saúde nas áreas distantes e de difícil acesso.

517. Garantir maior integração e melhoria no sistema de informatização da saúde (SIS).

518. Providenciar material áudio visual para trabalhos nas unidades do município.

519. Ter uniforme para todos os trabalhadores da saúde.

520. Dotar as unidades pré-hospitalares de ultrassom.

521. Ter mais divulgação do funcionamento da URBES podendo fazer sugestões através de e-mail.

522. Criar e efetivar imediatamente programas de valorização dos trabalhadores de saúde que cumprem com responsabilidade e dedicação o bom atendimento a população.

523. Valorizar a equipe de enfermagem das UBSs com melhores condições de trabalho.

524. Criar um programa de atenção ao trabalhador/cuidador no município.

525. Disponibilizar verba para comprar utensílios, que não são técnicos, mas de utilidade da Unidade para o seu funcionamento, ex: Datashow e etc.

526. Criar atendimento Psicológico nas UBSs para as vítimas de violência Infantil.

527. Capacitar as unidades para o acolhimento das pessoas vítimas de violência (crianças, adolescentes e mulheres, etc.) e garantir o encaminhamento à rede de serviços de forma efetiva.

528. Criar atendimento especializado às vítimas de violência doméstica (crianças e mulheres), direcionar o agressor para o tratamento psicossocial e realizar as análises estatísticas.

529. Oferecer atendimento gratuito em hospital veterinário.

530. Implantar rondas para controle e fiscalização de animais soltos nas ruas.

531. Melhorar o controle das zoonoses (doenças transmitidas para seres humanos por animais).

532. Implantar serviços de atendimento dos animais (cães e gatos) através de convênio com universidades, ONGs e clínicas.

533. Melhorar a fiscalização de criadouros do mosquito transmissor da dengue nos conjuntos residenciais fechados (condomínios, prédios, etc.).

534. Ampliar o serviço de castração de animais.

535. Ampliar o atendimento de castração dos animais e proporcionar maiores campanhas de conscientização contra o maltrato aos animais.

536. Construir maior número de creches, inclusive para idosos, em tempo integral em Sorocaba e ampliar seus números de vagas nas existentes.

537. Ampliar o número de creches na comunidade.

538. Que tenha local para acolhimento para animais de rua e Politica de incentivo de posse responsável.

539. Criar conselhos locais de saúde em todas UBS e garantir que os representantes dos usuários no conselho municipal de saúde sejam efetivamente usuários.

540. Reativar o Conselho Local do Conjunto Hospitalar de Sorocaba.

541. Divulgar e valorizar a ouvidoria como ferramenta para melhoria da saúde.

542. Pesquisar quanto à qualidade do atendimento local aos usuários a cada três meses nas UBSs, e divulgar posteriormente no conselho local de saúde e conselho municipal de saúde.

543. Incentivar o uso de bicicletas aos trabalhadores para ir e vir do trabalho.