Tags

,

Promover a atenção universal e integral com equidade em todas as regiões da cidade por meio da descentralização das ações de vigilância em saúde, das especialidades, da urgência e emergência e da atenção psicossocial dando apoio ao acolhimento das pessoas com prioridade para o fortalecimento de cada Unidade Básica de Saúde (UBS) e sua transformação em Centro de Atenção Integrada de Saúde (CAIS). 

1. Instalação das coordenadorias para as regionais de saúde centro-norte, norte, sudoeste, noroeste, centro sul e leste, para descentralizar a atenção, a vigilância e a administração da saúde. 

2. Descentralizar a atenção especializada para as unidades pré-hospitalares como unidades de referência em urgência e emergência pediátrica e de adultos e também para unidades básicas com vistas a estruturação de seis centros de atenção integrada de saúde com transformação progressiva da Policlínica. 

3. Integrar o atendimento de urgência e emergência a partir das equipes de Saúde da Família, das Unidades Básicas de Saúde, dos centros de Atenção Psicossocial aos centros de Atenção Integrada de Saúde, às unidades de Pronto Atendimento e unidades Pré-Hospitalares, ao Pronto Socorro e aos hospitais contratualizados conforme as necessidades assistenciais dos usuários do SUS, com a mediação do SAMU. Habilitar o SAMU Regional para consolidar a participação dos demais municípios. 

4. Ampliar e qualificar a Rede de Atenção Psicossocial nos diferentes pontos de atenção ao indivíduo em todas as regiões de saúde, com vistas à superação do modelo asilar de cuidado em saúde mental, cumprindo os compromissos de desinstitucionalização conforme o Termo de Ajuste de Conduta, TAC-Sorocaba e Região, de dezembro de 2012. 

5. Iniciar a construção da UPA do bairro Laranjeiras se contemplada no orçamento de 2014 do Ministério da Saúde. 

6. Iniciar as obras de reforma e ampliação de 12 unidades básicas de saúde com recursos do Fundo Nacional de Saúde e instalar mais 6 novas unidades básicas com saúde da família, uma por região de saúde da cidade. 

7. Descentralizar a assistência da área de reabilitação, utilizando espaços territorializados e recursos humanos das diferentes profissões (fisioterapia, terapia ocupacional, fonoaudiologia, psicologia, assistência social, estomaterapia,quiropraxia, acupuntura, profissionais da área de prótese/ órtese e de reabilitação visual, entre outros), seguindo as ações de promoção/ prevenção à incapacidade definitiva, implantando a Política Nacional de Saúde da Pessoa com Deficiência e da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares. 

8. Promover a integração política e administrativa da secretaria de saúde com as secretarias de administração e recursos humanos, de cultura, de desenvolvimento econômico e emprego, de desenvolvimento social, de educação, de esportes e lazer, de fazenda, de governo e segurança comunitária, meio ambiente, de negócios jurídicos, de obras e urbanismo, de planejamento e gestão, de serviços públicos e de transportes para fomentar ações intersetoriais da saúde com os demais cuidados dispensados aos habitantes da cidade. 

9. Criação e instalação de um Centro de Referência em Imunização. 

10. Ampliar a capacidade do laboratório municipal para controle epidemiológico. 

11. Facilitar o acesso da população para a realização de exames de imagem. 

12. Instituir no município o plano de gerenciamento de resíduos dos serviços de saúde. 

13. Reapresentar o pleito das UPAs para as região noroeste e região centro-sul (Vila Haro) em 2014. 

14. Instalar a Central de Regulação Municipal, contratualizar os serviços hospitalares e especializados e aprimorar o sistema de informação em saúde. 

15. Completar equipes e descentralizar as ações de vigilância ambiental, epidemiológica e sanitária, inclusive zoonoses para todas as regiões de saúde. 

16. Garantir estrutura, equipamentos e manutenção, com segurança física e pessoal adequada aos serviços municipais de saúde. 

17. Aperfeiçoar os serviços próprios de apoio diagnóstico e terapêutico. 

18. Concluir a obra e implantar a UPA do Éden. 

19. Atuar junto à 16ª DRS, Colegiado de Gestão Regional e Comissão Intergestores Bipartite tendo em vista resgatar e ampliar as transferências de recursos dos fundos de saúde, estadual e nacional, para o Fundo Municipal de Saúde de Sorocaba. Descentralizar a gestão do Fundo Municipal de Saúde conforme a legislação vigente. 

20. Viabilizar a construção e a operacionalização do hospital público de Sorocaba. 

21. Que é direito de toda gestante, assim como o parto de ser acompanhada por profissionais atenciosos e bem preparados, é permissível que o pré natal possa ser acompanhada por uma enfermeira. 

22. Que sejam feitos todos os exames laboratoriais necessários para detectar doenças que possam prejudicar a gestante e o bebê. 

23. Que passem pelo menos por seis consultas de pré natal. 

24. Que todas as UBS´s tenham o projeto “Gerações”. 

25. Que seja obedecida a Lei 11.108 de 07 de abril de 2005 e que todos os hospitais/maternidade permitam que a parturiente tenha o/a acompanhante que escolher antes, durante e depois do parto. 

26. Que seja criada a Casa e Puérpera para atender todo o município de Sorocaba, com equipe de enfermagem, assistente social, psicólogo, transporte e nutrição. 

27. Que a DOULA seja uma presença constante em todas as maternidades de Sorocaba. 

28. Que a intervenção cirúrgica no parto (cesariana) seja realizada após 8 horas de rompimento da bolsa evitando, assim o grande número de óbitos e seqüelas decorrentes do parto demorado. 

29. Incentivar as mulheres em pós parto a participar das ações de planejamento familiar o mais rápido possível. 

30. Que receba todos os direitos como cidadã. 

31. Maior atuação do conselho Municipal de Saúde junto ao Comitê de Mortalidade Intanfil, para melhor avaliação dos óbitos nas UBS´s e Hospitais. 

32. Garantir o fornecimento de credencial para uso do transporte coletivo ou vale social para os pacientes com deficiência ou distúrbios mentais, ou que estejam fazendo sessões de hemodiálise, fisioterapia, quimioterapia, radioterapia, soropositivos, gestantes para pré natal e seus acompanhantes quando necessário, e que o fornecimento seja agilizado conforme a necessidade do usuário. 

33. Criação de leitos psiquiátricos em hospital geral para gestante dependentes químicos. 

34. Estabelecer protocolo unificado para UBS e maternidades visando padronização das orientações e incentivo ao aleitamento materno. 

35. Rever os modelos organizacionais das práticas odontológicas oferecidas nas unidades básicas de saúde e unidades móveis considerando o perfil da população e necessidades locais dos territórios, incluindo os acamados e pacientes com deficiências, instituindo atividades extramuros focadas em ações de prevenção, promoção e educação em saúde na comunidade. 

36. Estimular o comprometimento dos usuários pelo seu auto cuidado e uso adequado dos serviços. 

37. Incluir os temas de saúde bucal nas ações educativas voltadas às equipes de saúde das UBS’s, potencializando a abrangência das informações com o auto cuidado. 

38. Articular a rede intersetorial existente no território a fim de aumentar a resolutividade das ações de saúde bucal. 

39. Levantar as necessidades de especialidades odontológicas dos serviços e descentralizar os procedimentos no território. 

Desenvolver a prática de matriciamento nos temas necessários;