Tags

,

Sorocaba passa a ter 312 leitos vinculados ao Sistema Único de Saúde (SUS) disponibilizados à população. São 183 instalados na Santa Casa de Misericórdia, 93 no Santa Lucinda e 26 no Hospital Evangélico.

A quantidade é referente ao processo de contratualização para serviços hospitalares, assinado anteontem pelo prefeito Antonio Carlos Pannunzio (PSDB), voltado para melhorias no atendimento à população com o foco em exames e cirurgias. A quantia de vagas anterior ao acordo não foi informada.

No total serão investidos R$ 94.837.886,37 no período de um ano. A Santa Casa receberá a maior quantia: R$ 57.593.735,76, sendo que 47,39% desse valor virá do Fundo Municipal de Saúde (FMS). O Santa Lucinda terá R$ 27.762.630,69 (46,08% do FMS) e o Evangélico R$ 9.481.519,92 (40% do FMS).

O secretário da Saúde de Sorocaba, Armando Raggio, explica que aproximadamente 60% dos recursos serão disponibilizados pelo Fundo Nacional de Saúde.

“O restante é por conta do município, com recurso arrecadado aqui mesmo com os impostos de Sorocaba, mas também com recursos arrecadados pela nossa própria rede”, conta.

“Quando trabalhamos com o SUS, além de o governo municipal ser o gestor, também prestamos serviço. Quando a gente dá consulta, faz vacina, faz diversas atividades, esses recursos são reaplicados para poder contratar essa retaguarda dos hospitais”, completa.

Raggio comenta que esses leitos de clínica e cirurgia não são acessíveis diretamente ao paciente.

“A pessoa será encaminhada pela Central de Regulação da Prefeitura, que é o coração do sistema, que recolhe as demandas e distribui conforme as ofertas disponíveis e com uma cautela”, conta.

De acordo com Raggio, com esse novo contrato, 60% dos leitos do Hospital Evangélico serão destinados aos pacientes do SUS. “Essa é uma condição dos hospitais beneficentes para terem o reconhecimento, as vantagens e as facilidades de custo social menor”, diz.

“Isso já é um ganho para o hospital, pois os gastos serão relativamente menores, uma vez que ele sustenta uma condição de entidade prestadora de serviço, o que é apoiado pelo governo com taxas menores de custo social”, completa.

No Santa Lucinda, Raggio conta que haverá um total de 16 leitos voltados à pediatria.

“Eles vão melhorar muito a possibilidade de atender os pacientes pediátricos, se for necessário, já com diagnóstico encaminhado ou próximo de fazer o diagnóstico e estabelecer a terapêutica.

Lembrando que o UPH Zona Oeste, que cuidará de criança, contará com mais leitos de pediatria perto do Santa Lucinda”, diz o secretário.

Já o fato de a assinatura desse convênio da Prefeitura com as três unidades hospitalares não ter passado pela Câmara de Sorocaba não preocupa Raggio.

“Neste caso, como já está regulamentado pelo SUS e os valores são regulados e controlados pelo próprio Ministério da Saúde, a negociação que nós fizermos fora não será reconhecida.

Então, a regulamentação garante que reafirmamos os objetivos e não necessariamente dependendo de uma aprovação de nova lei da Câmara”.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul