Tags

,

Muito calor e torneiras secas, é assim que moradores e comerciantes de bairros de Sorocaba, como Vila Barão, Vitória Régia, Jardim São Lourenzo, Mineirão, Jardim Saira, Vila Astúrias e também do condomínio Ibiti dos Paço, têm passado nos últimos meses.

Em todos os casos, afirmam, que o Serviço de Autônomo de Água e Esgoto de Sorocaba (Saae) foi procurado, mas o problema em questão não foi resolvido.

A autarquia alegou que a situação deve-se ao elevado consumo e ao forte calor, provocando baixo nível de água nos reservatórios de distribuição desses bairros.

O Saae fez ainda um alerta para a que população reduza o consumo, uma vez que esse tipo de problema no abastecimento da cidade vai continuar até que sejam concluídas as obras em andamento na Estação de Tratamento de Água (ETA) do Cerrado, cuja previsão é para o final do primeiro trimestre de 2014.

Segundo relatos dos moradores dessas localidades, a água só chega de madrugada e pela manhã as torneiras estão secas novamente.

No último dia 12, o <BF>Cruzeiro do Sul<XB> publicou reportagem sobre a falta de água em residências de ao menos dois bairros: Jardim Saira, Vila Astúrias. Porém, anteontem e ontem, 12 moradores reclamaram em relação à falta de água em residências.

Residente na Vila Barão, Alessandro Fortes disse que o “problema é constante todas as tardes” e ontem não foi diferente.

“Cheguei em casa, por volta das 15h, que fica na avenida Pército de Souza Queiroz, e me deparei com torneira seca. Liguei no Saae e uma atendente me informou que o problema é por conta do calor intenso e o elevado consumo nesse período. Ora, a administração tem que estar preparada e investir para evitar esses tipos de situações, que são fatores naturais e previsíveis.”

A mesma situação foi constada no Jardim São Lourenzo e no Mineirão. Glória Lúcia da Silva de Godoy é proprietária de um restaurante na rua Dr. Altino Arantes e contou que todos os dias sofre com o problema, que está prejudicando os seus negócios.

“Todos os dias, por volta das 8h começa nosso martírio. A água só retorna por volta das 4h da manhã do dia seguinte. Não dá nem para encher as caixas. Temos que comprar e a entrega chega por caminhão pipa.”

E completa: “O que mais incomoda é que sempre há uma justificativa diferente. A resolução do problema, mesmo, não acontece. Um dia é o calor intenso, outro é que a bomba está queimada, no dia seguinte é porque o bairro está localizado numa região alta da cidade…”.

Verão nem chegou… 
“Nós, moradores do Vitória Régia, não aguentamos mais conviver com esse problema. Há pelo menos dois meses o problema na interrupção da distribuição de água se tornou constante. O Saae precisa tomar uma providência.

É lamentável. Entrei em contato por telefone, pelo número 0800-7701195, e uma atendente alegou que o problema é por conta do aumento do consumo e do calor intenso”, relatou o auxiliar de finanças Márcio Gonçalves do Nascimento, 45 anos.

“Essa autarquia precisa nos informar melhor sobre isso. O verão ainda nem chegou e já alegam isso. Daqui a pouco vão decretar estado de calamidade.”

Na Vila Astúrias, Márcia Ribeiro, 34 anos, conta que todos os dias sofre com o problema da falta de água nas torneiras de sua residência.

“Aqui dia sim, dia não, a falta de água começa por volta das 9h e só volta pela madrugada. Temos que economizar e contar com o que está no reservatório, se não não dá nem para tomar banho”, reclama.

No Jardim Saira, a dona de casa Maria Iracema de Assis, 56 anos, contou que há seis dias o abastecimento está interrompido.

“Ligamos para o Saae e nos foi informado que o reservatório responsável pelo nosso abastecimento se encontra em escassez. E não dão mais detalhes e limitam-se a dizer que nos próximos dias o serviço será restabelecido.”

Calor e consumo: O Saae informou que o forte calor e o consumo excessivo desestabilizou o sistema e que, neste momento de baixo nível de água nos reservatórios, o sistema de telemetria tem que desligar as bombas e aguardar a elevação dos reservatórios para haver pressão na rede e assim a água possa chegar às residências.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul

Anúncios