Tags

,

O prefeito Antonio Carlos Pannunzio (PSDB) pretende iniciar o segundo ano do seu mandato com a retomada de investimentos em propaganda.

A administração municipal iniciou o processo de licitação para a contratação de duas agências de publicidade para a realização de campanhas de divulgação de programas e serviços promovidos pela Prefeitura de Sorocaba.

O valor previsto para o contrato, com validade de um ano, é de R$ 7 milhões, divididos entre as duas prestadoras de serviço. A entrega dos envelopes com as propostas será no dia 8 de janeiro de 2014.

O último contrato com as duas agências que prestavam serviços de publicidade e propaganda para a Prefeitura se encerrou em outubro de 2012, no final da administração do ex-prefeito Vitor Lippi (PSDB).

O atual governo optou por não fazer, num primeiro momento, a recontratação do serviço. A partir do próximo ano, no entanto, os investimentos com campanhas publicitárias institucionais serão retomadas.

O Cruzeiro do Sul questionou a Prefeitura sobre o que motivou a retomada de investimentos nesse serviço neste momento pela administração municipal, mas não obteve resposta.

Na justificativa da contratação, publicada no Termo de Referência do edital foi destacado como de “suma importância para o Gabinete do Poder Executivo, a contratação de prestação de serviços que englobem os inúmeros trabalhos publicitários de toda a Prefeitura, com criação e conceituação de campanhas, planejamento de mídias e intermediação entre os serviços de mídia e os fornecedores.”

Saúde em pauta:  O critério de seleção das concorrentes, além da oferta de menor preço, incluiu também a análise de uma campanha “fictícia” proposta pela Prefeitura que tem um tema bastante atual para a administração municipal: informar a população sobre as diferenças entre as Unidades Básicas de Saúde (UBSs), Prontos-Atendimentos (PA), Unidades Pré-Hospitalares (UPHs) e Pronto-Socorro (PS).

O objetivo da campanha publicitária a ser desenvolvida pelas agências concorrentes é explicar quando e qual unidade deve ser procurada em cada situação e mostrar que a população também é responsável pela qualidade do atendimento.

Com a iminência da mudança do sistema de atendimento da Pronto-Socorro Municipal (PMS), que a partir de dezembro deixará de atender de portas abertas, mas apenas por meio do encaminhamento de uma central reguladora de vagas, a Secretaria da Saúde já demonstrou preocupação em promover uma campanha intensa de orientação da população sobre os locais onde poderão receber atendimento de acordo com o problema de saúde apresentado.

A Prefeitura não descartou que o material produzido pelas agências vencedoras poderão ser utilizadas pela Prefeitura, mas que isso só poderá ocorrer após a conclusão de todas as etapas da licitação e a efetivação do contrato das vencedoras.

Fonte: Notícia publicada na edição de 08/11/13 do Jornal Cruzeiro do Sul, na página 010 do caderno A