Tags

, ,

O primeiro ponto discutido durante entrevista com o prefeito Antonio Carlos Pannunzio (PSDB), durante entrevista exclusiva na coluna O ‘D’ da Questão da Rádio Ipanema nesta quinta-feira (19), foi a recente aparição da cidade no CQC falando sobre as obras da Prefeitura de Sorocaba que estão atrasadas.

Ele comentou sobre a não participação do ex-prefeito Vitor Lippi (PSDB) nas entrevistas, uma vez que as obras foram iniciadas durante o governo do tucano.

Ouça a entrevista em http://www.jornalipanema.com.br/novo/audio/Pannunzio_19092013.mp3

“Ele fez o que pôde para entregar as obras. O prefeito sou eu, a responsabilidade agora é minha, então não posso deixar Lippi ser escrachado por este programa”. Pannunzio negou também que as obras tenham cunho eleitoral. “A prova de que não era obra eleitoral é de que ela não ficou pronta e nem foi entregue”.

De acordo com o prefeito, um dos motivos para os atrasos é a lei que regulamenta as licitações, levando em conta o menor preço e não a qualidade do serviço prestado.

“É um problema que temos no Brasil inteiro. A lei das licitações, com o intuito de se achar que se controlariam melhor os gastos públicos e evitar que se burle o processo, é brutal e cria muitas condições de empecilhos. Se tudo correr bem, ela leve quatro meses ou mais”.

Após questionamento de ouvintes, Pannunzio afirmou que o pagamento para as empreiteiras nas licitações é feito de forma parcelada, de acordo com o andamento da construção.

“Só que não tem dinheiro sobrando porque as empreiteiras reclamam dos valores. Temos verba em caixa para terminar todas as obras”.

Falou também sobre o atraso nos repasses de programas dos governos estadual e federal, ao dizer que pode perder dinheiro caso avance a parte do orçamento de responsabilidade destas duas esferas. “O problema nos atrasos não é falta de verba na prefeitura”, garantiu.

A ouvinte Roberta, do bairro Largo do Divino, questionou sobre a possibilidade de se estabelecer um piso nestas licitações.

“As obras possuem medidas e situações diferentes, logo não posso estipular padrões”, explicou. Pannunzio admitiu ainda a falta de fiscalização da prefeitura nas obras da creche do Largo do Divino, que logo após ser inaugurada apresentou afundamentos na estrutura.

Fonte: Jornal Ipanema

Anúncios