Tags

A inauguração dos laboratórios de pesquisas da Pontifícia Universidade Católica (PUC) já projeta Sorocaba a uma posição de destaque no cenário nacional: estudo da simulação computacional para o corpo humano, um dos trabalhos de pesquisas que a PUC desenvolve no Parque Tecnológico, é inédito em todo o país.

A solenidade de inauguração contou com o prefeito Antonio Carlos Pannunzio e a reitora da PUC, Anna Cintra, representantes de universidades, além dos pesquisadores que trabalharão nos laboratórios da PUC.

O prefeito de Sorocaba ressaltou ser um privilégio participar de um momento tão importante, lembrando que a PUC já foi a pioneira das universidades a se instalar em Sorocaba e agora também é a primeira no Parque Tecnológico.

“O Parque Tecnológico de Sorocaba é plural, vai atuar em todas as áreas e a PUC dará sua contribuição para que possa crescer e atender a demanda que o Brasil precisa. Estamos começando, mas tenho certeza de que em pouco tempo, o parque marcará posição de destaque em todo o mundo”, disse.

A reitora Anna Cintra falou da satisfação em participar da inauguração dos laboratórios, do início efetivo de um trabalho que promete muito.

Elogiou a iniciativa de Sorocaba em criar um espaço que faz a ligação entre universidade e indústria. “O Parque Tecnológico de Sorocaba certamente dará uma grande contribuição para a economia de São Paulo, do país”, disse ela.

Os laboratórios de pesquisas ocupam um espaço de 170 m², no Núcleo Central do Parque. Inicialmente os trabalhos se concentram em duas áreas: medicina computacional e marcha e equilíbrio, que funciona como um laboratório de reabilitação.

Paulo Roberto Pialarissi, um dos pesquisadores, explicou que o laboratório de medicina computacional serve para estudar virtualmente o corpo humano. “No caso de uma pessoa necessitar de uma prótese ou uma válvula cardíaca. Com essas próteses, uma vez colocadas, a pessoa necessita de acompanhamento e reabilitação”, afirma.

Segundo Pialarissi, a simulação computacional calcula e analisa precisamente aquele produto que vai ser inserido no corpo da pessoa. Faz em nível computacional para depois que estiver devidamente adaptado produzir fisicamente.

“Esses laboratórios têm a função de fazer o estudo de simulação computacional para o corpo humano, trabalho que ainda não é feito no Brasil, é uma inovação de Sorocaba”, explicou.

Já o professor Donizetti Louro, que também trabalhará no laboratório da PUC, a grande riqueza do Parque Tecnológico de Sorocaba é o fato de reunir diversas universidades em um mesmo espaço.

“O desafio será fazer todos os colegas brincarem com o mesmo brinquedo. O grande passo é fazer com que essas inteligências, em conjunto, possam realmente trazer muito dinheiro para Sorocaba em benefício da ciência”, afirmou.

O professor destaca ainda que na área de medicina computacional, de simulação, o maior ganho é o fato de trabalhar com varias ciências, como psicólogo, fonoaudiólogo, fisioterapeuta, matemático, físico, astrofisico.

Lembrou ainda das parcerias com universidades do exterior que poderão enriquecer ainda mais as pesquisas. “Temos um trabalho muito forte com a George Washington University, na área de medicina computacional”, disse.

Fonte: Agência Sorocaba de Notícias

Anúncios