Tags

,

A secretária de Cultura e Lazer, Jacqueline Gomes da Silva, esteve na Câmara Municipal de Sorocaba para falar sobre o trabalho desenvolvido na pasta.

A iniciativa do convite para que a secretária viesse à Casa partiu do vereador Marinho Marte (PPS). O presidente da Casa, José Francisco Martinez (PSDB), intermediou o convite e o vereador Rodrigo Manga (PP) presidiu parte dos trabalhos.

A secretária Jacqueline Gomes da Silva afirmou que o principal objetivo de sua gestão à frente da pasta é estabelecer um diálogo permanente entre o poder público e a sociedade, possibilitando uma ocupação cultural da cidade.

“A Secretaria de Cultura não pode ser uma secretária apenas de eventos”, disse a secretária, afirmando que Sorocaba, por intermédio de sua pasta, já aderiu ao Sistema Nacional de Cultura, que prevê a instituição de uma política cultural de longo prazo para o município.

Respondendo a indagações do vereador Marinho Marte (PPS), a secretária disse que nasceu no Amapá, não é funcionária concursada, morou em São Paulo durante 20 anos, tem ligação com Sorocaba há onze anos (devido ao seu trabalho na Uniso) e foi para a secretaria há sete meses, convidada pelo ex-secretário José Simões. O parlamentar também alertou a secretária para que seja independente e “não aceite imposições de pessoas que nem secretários são”.

Marinho Marte indagou sobre o Projeto Viva o Centro, que promove a ocupação cultural do centro da cidade, e sugeriu que as escolas sejam chamadas a participar do projeto.

O vereador também alertou para o problema do tráfico e uso de drogas nas praças centrais, sobretudo na Praça Frei Baraúna, problema que, segundo ele, não se resolve apenas com eventos culturais, exigindo também uma efetiva atuação da Guarda Civil Municipal e de outros setores de segurança pública.

Descentralização da cultura – O vereador Anselmo Neto (PP) quis saber como será a utilização do Teatro Municipal Teotônio Vilela por parte das academias de dança da cidade, uma vez que, por determinação do secretário anterior, as academias só podem utilizar o espaço de segunda a quinta-feira durante quatro horas apenas.

A secretária respondeu que tem feito reuniões com as academias e que será constituída uma câmara setorial para discutir o setor. Também enfatizou que o Teatro Teotônio Vilela precisa ser reverenciado.

O vereador Waldomiro de Freitas (PSD) cobrou apoio da pasta às bandas de música, que, segundo ele, estão praticamente desativadas.

O líder do PSD na Casa lembrou que as bandas de música tiveram um papel histórico na cultura musical da cidade e precisam ser incentivadas, recebendo mais atenção do poder público.

Já o vereador Izídio de Brito (PT) disse que o Programa Via Viva, desenvolvido pelo governo anterior na Avenida Itavuvu, “fez foi matar a via”, devido aos transtornos que causava. E indagou como vai ser o relacionamento da pasta com os bairros.

Já o vereador Saulo do Afro Arts (PRP) elogiou a “Caravana Cultural” nos bairros, desenvolvida pela secretaria no governo passado, e defendeu sua continuidade.

Por fim, o vereador Waldecir Morelly (PRP) elogiou o trabalho do ex-secretário José Simões e quis saber se as atividades culturais nos bairros, anunciadas por ele, terão continuidade com sua sucessora.

Respondendo à indagação de Izídio de Brito, a secretaria Jacqueline Gomes explicou que o “Via Viva” foi desenvolvido pela Secretaria de Esportes e disse que sua nova versão, em torno das ciclovias, evita impactos negativos no trânsito.

Também afirmou que uma das principais metas da Secretaria da Cultura é descentralizar as atividades da pasta.

Segundo ela, a secretaria está fazendo um levantamento de parques e praças da cidade que possam ser usados como espaços culturais e disse que uma de suas preocupações é dialogar com os moradores dos bairros, pensando, inclusive, na formação de agentes culturais nos próprios bairros.

Fonte: Câmara Municipal de Sorocaba

Anúncios