Tags

, ,

O ex-prefeito Vitor Lippi (PSDB) e o vereador José Crespo (DEM) participam do Jornal da Ipanema nesta sexta-feira (28) e continuam a discutir sobre a doação da área para a construção do segundo Hospital Regional. “Ele me chamou de desonesto e disse que eu menti, isso é inaceitável”, afirma Lippi. Ele conta que abriu queixa-crime contra Crespo por essas acusações realizadas durante entrevista ao Jornal da Ipanema na terça-feira (25), já o vereador nega ter afirmado que Lippi se vendeu.

Ouça a entrevista em http://www.jornalipanema.com.br/Lippi e Crespo_28/06/2013.mp3;

Segundo Lippi, ele tinha duas opções para construir o hospital. “Ou era a área da Uniso ou ao lado da arena multiuso”. Ele conta que primeiramente foi até a Uniso e a diretora da universidade não concordou em ceder a área, pois pretende fazer um espaço para eventos e prática esportiva.

Já Crespo afirma que ele poderia ter desapropriado a área e não precisaria ter recorrido ao empresário Antônio Beldi. Lippi rebate negando qualquer oportunismo por parte do empresário que doou a área.  “Nós estamos cometendo uma das maiores injustiças que essa cidade já viu”, defende Lippi.

A entrevista partiu para o lado pessoal, mesmo com as intervenções do jornalista Djalma Benette, conhecido como Deda. “Você já é conhecido pela sua maldade”, disse Lippi para Crespo.  “O objetivo não é baixaria, mas sim responder as questões colocadas”, pontua Deda. “Por questões políticas houve uma inversão de valores, eu fiquei como uma pessoa que se vendeu e o Toninho [Beldi] ficou como oportunista”, afirma o ex-prefeito.

Fora do ar: Durante o intervalo, o embate continuou. “Crespo, você precisa se tratar”, critica o ex-prefeito, quando foi interrompido pelo vereador: “É você quem deveria se tratar antes de todos esses desmandos”.

Em seguida, Lippi afirmou que não aceitaria um debate neste nível e cogitou deixar os estúdios. “Quando aperta, ele sai do debate”, dispara Crespo. Em sequencia entrou na discussão a revogação da lei que autorizou a doação do hospital. “Eu espero que ela seja revogada”, diz o parlamentar do Democratas.

Após o final da entrevista, Crespo e Lippi discutiram novamente nos corredores, onde foi necessário acalmar os ânimos.

“As questões institucionais acabam ficando de lado. Os políticos precisam se dar ao respeito e estas questões divergentes e pessoais precisam ser resolvidas na justiça”, avalia Deda.

Fonte: Jornal Ipanema

Anúncios