Tags

, ,

No dia 29 de junho, aconteceu na cidade de Campinas o Encontro Metropolitano de Mobilidade da Pessoa com Deficiência no Transporte Público sobre Pneus e Trilhos. Pena que não vimos ninguém da Urbes neste evento, pois Sorocaba também passa por esta dificuldade e poderia ser pioneira nesta assunto em nossa futura região metropolitana.

O evento discutiu a questão da acessibilidade nos transportes públicos para as pessoas com deficiência. Além disso, buscou estabelecer um critério Único de Gratuidade e um Cartão Padrão para utilização das pessoas com deficiência nos transportes públicos.

O evento realizado com o apoio das Secretarias de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, dos Transportes Metropolitanos e de Desenvolvimento Metropolitano, contou com a participação de 19 municípios da região metropolitana de Campinas, com mais de 70 representantes.

“Cumpre esclarecer que a gratuidade nas passagens deve ser encarada como uma política redistributiva de renda. É imperativo que esta redistribuição de renda seja ética e realmente contemple a justiça social. Para tanto, precisamos definir uma política clara de concessão de gratuidade e descontos no setor. Esta nova perspectiva possibilitará às pessoas com deficiência, como as demais, participarem plenamente de todos os aspectos da vida”, destaca a Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Dra. Linamara Rizzo Battistella.

O encontro foi desdobramento do Fórum Estadual de Mobilidade da Pessoa com Deficiência no Transporte Público sobre Pneus e Trilhos, realizado pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, em 23 de abril deste ano.

A questão da acessibilidade foi a pauta do Fórum, que teve como objetivo estabelecer critério único para gratuidade e o cartão padrão para o acesso das pessoas com deficiência aos transportes públicos no Estado de São Paulo.

”Nós estamos discutindo a questão da acessibilidade que vai além do direito como garantia de um transporte público acessível de qualidade. Vai também ao encontro de uma legislação que seja um pouco mais ampla do que o direito do munícipe”, ressaltou a Secretária Dra. Linamara, que ainda comentou que o Estado de São Paulo tornou-se um exemplo em termos de acessibilidade. “Há 2.531 ônibus e 340 trens, com 64 estações do Metrô acessíveis.”