Tags

, ,

O vereador Benedito de Jesus Oleriano (PMN), o Ditão, será investigado pela Comissão de Ética da Câmara por quebra de decoro e poderá ter o mandato cassado se essa for a conclusão dos seus colegas. O pedido de levar o caso à Comissão de Ética foi feito pelo colega José Crespo (DEM) em razão de declarações feitas por Ditão em entrevista na rádio Jovem Pan (Ouça aqui: http://migre.me/8EjO9).

Na sessão ordinária do dia 29 de março, Crespo e Ditão bateram boca porque o vereador do DEM apresentou projeto modificando uma lei de autoria de Ditão sobre a isenção de pagamento de taxa de inscrição em concursos públicos. Após o fato, o jornalista da rádio Jovem Pan, Felipe Shikama, entrevistou Ditão que afirmou: “Você tem um projeto que há 10 anos está bem na cidade e vem um vereador trocar uma virgula… isso é uma falta de ética muito grande. É uma falta de vergonha na cara”, falou Ditão a respeito de Crespo.

Motivo/O vereador Crespo não gostou da declaração e disse que “achava que esse assunto estava acabado. Mas falar que não tenho vergonha na cara é um insulto”, disse ele. “Aqui todos nós somos vereadores. Não existe isso de não poder mudar um proposta que já existe”, argumenta ele.

O presidente da Câmara, José Francisco Martinez (PSDB), até tentou apaziguar a briga entre os dois para evitar que a abertura de um processo pela Comissão de Ética. “Queria que os dois conversassem, mas não teve jeito”, falou Martinez.

Mantém/ Na sessão de terça-feira (10), Ditão manteve a sua palavra e usou a tribuna para falar mais uma vez sobre o caso. “Aqui é preciso ter hombridade. Ele (Crespo) está querendo afrontar. É preciso pedir permissão para mexer no projeto de alguém desta Casa”, disse o vereador Ditão.

Crespo ouviu e não comentou e nem usou a tribuna para rebater o colega.

Mantém/ O vereador Rozendo de Oliveira (PV) marcou para a próxima terça-feira uma reunião da Comissão de Ética para discutir esse assunto. “Vamos eleger o presidente e o relator para o caso”, explicou ele.  “Após isso é que será decidido ou não pelo processo de cassação do Ditão.”

Entenda o projeto de lei da discórdia
Projeto de lei da discórdia aumenta de 2 para 3 salários mínimos para que um candidato de concurso público se consiga a isenção no pagamento da taxa de inscrição.

12
vereadores fazem parte da Comissão de Ética que é formada por representante de cada partido

Não participa
O vereador Crespo, único representante do DEM, não vai participar por ter apresentado a denúncia.

Fonte: Jornal Bom Dia Sorocaba por Pedro Guerra (pedro.guerra@bomdiasorocaba.com.br) em 12/04/2012

Anúncios