Tags

, ,

Pelo menos metade de uma lista de 34 telefones de emergência e de utilidade pública, que recebem chamadas gratuitas, não atende os usuários, conforme levantamento efetuado pelo vereador José Crespo, que vai reclamar dessa situação perante a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Há sete anos, a Anatel determinou às operadoras do Serviço Telefônico Comutado que aqueles telefones de trás dígitos deveriam ser regularizado em até 90 (noventa) dias.

O vereador José Crespo recebeu uma lista de 34 telefones de emergência e de utilidade pública e fez um teste para saber quem atendia e não atendia aos usuários.

Atenderam aos telefonemas do vereador Crespo estes números para emergência ou utilidade pública: 100 (Direitos Humanos), 102 (Auxílio à Lista), 103 (prestadoras de telefonias fixas), 116 (Energia Elétrica), 118 (Transporte Público), 141 (Centro de Valorização da Vida), 142 (Centro telefônico para portadores necessidades especiais, 148 (Justiça Eleitoral), 156 (prestação de serviços municipais), 180 (Delegacia da Mulher), 181 (Disque Denúncia), 190 (Polícia Militar), 192 (Serviço público de ambulância), 193 (Corpo de Bombeiros), 194 (Polícia Federal), 197 (Polícia Civil) e 199 (Defesa Civil).

Não atenderam os números: 105 (Prestadoras de serviços móveis de interesse público), 106 (Prestadoras de serviços de comunicação em massa), 115 (serviço de água e esgoto), 128 (Emergência no âmbito do Mercosul), 132 (Assistência a dependentes químicos), 138 (Governo federal), 150 (Vigilância Sanitária), 151 (Procon), 152 (Ibama), 153 (Guarda Municipal), 154 (Detran), 155 (Serviços estaduais), 157 (Ofertas de emprego – SINE), 158 (Delegacia Regional do Trabalho), 161 (Atendimento a denúncias por órgão da administração pública), 191 (Polícia Rodoviária federal) e 198 (Polícia Rodoviária estadual).

O vereador José Crespo anunciou que vai reclamar e pedir providências à Anatel para que a Telefônica, responsável pela operação dos números de 3 dígitos no Estado de São Paulo, regularize o atendimento das chamadas feitas àqueles números, que hoje permanecem mudos ou informam o conhecido “este telefone não existe”.

Fonte: Site da Câmara

Anúncios