Tags

Os quatro candidatos a prefeitura de Sorocaba responderam esta pergunta ao Jornal Cruzeiro do Sul, leia, reflita e comente:

RAUL MARCELO (PSOL): Porque amo Sorocaba, e estou preparado para enfrentar o desafio de proporcionar para nossa querida cidade a alternância de poder, fundamento primeiro da democracia, necessidade premente, hoje, em nosso município. Arejar as políticas públicas, introduzir novos e modernos conceitos no âmbito da administração pública, promover a transparência e combater à corrupção, são compromissos que se misturam com minha atuação política, desde o movimento estudantil até o mandato como deputado estadual. A energia e o espírito criativo, aliados à experiência adquirida ao longo dos 10 anos de atuação parlamentar, nos deram experiência suficiente para manter as políticas e projetos exitosos nos governos anteriores. No entanto, isso é pouco para Sorocaba. Caminhamos para nos tornarmos sede de uma importante Região Metropolitana do Brasil, portanto precisamos ter capacidade inventiva, e ao mesmo tempo estar sintonizados com o que há de mais avançado em matéria de políticas públicas, dentro e fora do País. Construímos um Programa de Governo calcado no tripé: Desenvolvimento Econômico, Justiça Social e Democracia Participativa. Em cima dessas bases é que guiaremos nossas ações de Governo. O sorocabano(a) anseia por participação na condução e gestão da cidade. Daremos vazão a esta aspiração, já no primeiro semestre de 2013, realizaremos a Conferência de Sorocaba, chamando toda sociedade para debater e decidir sobre as prioridades, investimentos e principais ações do governo ao longo dos quatro anos da gestão. Quero ser prefeito de Sorocaba porque tenho formação na área tecnológica e entendo ser essa uma questão fundamental para o futuro de nossa cidade. Vamos construir a Infovia Municipal, integrando toda estrutura da administração. A empresa Pública de Tecnologia Municipal, que defendemos há anos, será a grande articuladora deste sistema. Vamos atrair para nossa cidade empresas da área tecnológica, disponibilizando infraestrutura, bem como, atuando com incentivos fiscais. Colocaremos nossas escolas municipais do ensino médio a serviço do desenvolvimento tecnológico e econômico do município, transformando-as em escolas politécnicas, oferecendo formação em tecnologia da informação e humanidades. No social é que faremos a grande diferença, conhecemos as finanças do município, hoje, 38,37% da receita corrente líquida de nossa cidade está comprometida com despesas de pessoal, podemos avançar para 51,30%, isso representa um gasto adicional com contratação e valorização de pessoal de R$ 170 milhões de reais, portanto é possível sim ampliar e qualificar os serviços sociais em nossa cidade, bastando para tanto vontade política. Vamos ampliar os investimentos na Educação, Esporte, Transporte Coletivo, Segurança, Saúde, Habitação e Meio Ambiente, todas as nossas propostas estão detalhadas em nosso site: http://www.raulmarcelo.com.br . São projetos construídos à luz da capacidade de investimento de nossa cidade, ou seja, são compromissos. Adotaremos medidas inovadoras, como o conceito de mobilidade urbana, para enfrentar o caos no trânsito. Quero ser prefeito porque tenho condições de executar esse conjunto de medidas. Estamos blindados, já no processo eleitoral aos Mensalões e Pandoras, que tanto indignam os sorocabanos. Nossa campanha será infinitamente barata diante dos demais concorrentes, não aceitamos recursos dos lobistas, apenas de pessoas físicas, são contribuições cidadãs, em valores simbólicos. Porém, essa modéstia nos gastos eleitorais, aparente fraqueza, será uma fortaleza em nosso governo. Vamos governar sem a pressão dos financiadores de campanha, trabalhando com ética, transparência, democracia e obedecendo somente ao interesse público.

IARA BERNARDI (PT): Esta é a minha cidade. Aqui nasci, cresci, estudei, me tornei professora, entrei para a política. Meus irmãos Wanderley, médico; Vinícius, técnico em hidrelétricas; Maria Luiza, professora; Marcus, já falecido; Ibere, tecnólogo; Marcelo, médico, também nasceram em Sorocaba. Menina, ficava com meu pai, o rotariano Antônio Bernardi, na sua loja Renner, na 15 de Novembro, esquina com a Brigadeiro Tobias. Minha mãe, Lina Bernardi, hoje com 93 anos, cuidava da família e era professora. Em seus anos de magistério, no antigo Ciências e Letras, dona Lina ajudou a formar muita gente que contribuiu para o crescimento da cidade. Morávamos na avenida Eugênio Salerno, em frente ao Estadão. Aqui também me casei com o médico Antônio Sérgio Ismael, ex-vereador, ex-candidato a prefeito de Sorocaba pelo PT em 1988 e presidente do Sindicato dos Médicos. Ismael atua na rede pública há mais de 30 anos.

Meu primeiro emprego, aos 17 anos, foi na Associação Comercial de Sorocaba. Trabalhava e estudava para me formar professora. Cursei Biologia e lecionei em várias cidades da região. Minha trajetória política começou em 1978, na Apeoesp, o sindicato dos professores, onde fui dirigente local e estadual. Ajudei a constituir e integrei o Comitê Brasileiro pela Anistia secção Sorocaba, que defendeu as lideranças perseguidas, exiladas e desaparecidas na ditadura militar. Em 1980, participei daquela jornada incrível que foi o processo de conseguir o número de filiações suficientes para fundar e legalizar o Partido dos Trabalhadores. Tive o grande orgulho de ser a filiada número 1 do PT Sorocaba. Em 82, disputei as eleições para a Câmara Municipal. Tomei posse em 1983 e fui a primeira mulher vereadora ao lado da médica Diva Prestes de Barros. Antes de nós, tinha sido eleita a liderança comunista Salvadora Lopes, cassada pela ditadura Vargas antes de tomar posse. Fui vereadora por 14 anos e me elegi deputada federal por dois mandatos. Em 96, disputei a Prefeitura. Em 2007, mais um orgulho: frente à minha atuação como deputada na área da Educação, o presidente Lula me convidou para coordenar o Ministério da Educação no Estado de São Paulo. Fiquei ali até 2010 e acumulei boa experiência no Executivo.

Como deputada, uma das minhas principais conquistas foi a instalação em Sorocaba de um câmpus da Ufscar, efetivada em 2006. Também consegui viabilizar e implantar escolas técnicas federais na região. Sorocaba, que pelo porte poderia ter duas ou mais, por falta de interesse da atual administração, não tem nenhuma. Prefeita, trarei as escolas técnicas federais.

Sorocaba se encontra num momento de decisão. Ela cresce e acumula problemas de cidade grande, como trânsito, enchentes, falta de moradia e possível esgotamento da capacidade da represa de Itupararanga. Para evitá-los, o essencial é planejamento, que falta na atual administração, com uma série de ações descoordenadas. Quero ser prefeita para romper o isolamento ao qual Sorocaba, por decisão da atual administração, se impôs em relação ao Governo Federal. Perdemos muito com isso. Além das escolas técnicas federais, Sorocaba deixou de ter dezenas de creches porque a Prefeitura não se credenciou junto ao MEC. Só em 2010, depois de muita pressão, a Prefeitura abriu diálogo com o Ministério, o que resultou em dez creches. Outros programas federais, para habitação, saúde, educação, saneamento, que também exigem convênios com o poder municipal que eu, sem dúvida, assinarei , estarão em Sorocaba logo após minha posse. Ao lado de Dilma, com o apoio de Lula e com a população, avançaremos com crescimento econômico sustentável, inclusão social e distribuição de renda. Juntos, a gente pode mais.

ANTONIO CARLOS PANNUNZIO (PSDB): Quero ser prefeito de Sorocaba para não deixar parar o trabalho do prefeito Vitor Lippi. Sou o candidato que vai dar continuidade às boas políticas públicas que ele colocou em prática e que são aprovadas pela imensa maioria dos sorocabanos. É uma honra muito grande ser prefeito de Sorocaba e eu já tive essa honra entre 1989 e 1992. Acumulei experiência e soma-se a isso o amor que tenho por Sorocaba. Meu pai, Armando Pannunzio, foi prefeito duas vezes e ele começou o processo de industrialização. No meu governo houve a consolidação e agora Vitor Lippi projetou Sorocaba como cidade tecnológica. É por essa Sorocaba do século 21 que daremos continuidade a esse governo, que adotou políticas públicas inovadoras, todas com foco no ser humano.

No meu plano de governo vou priorizar a área da saúde, investindo na construção de um hospital público na zona norte, uma região que carece desse equipamento. Outra prioridade é o atendimento de especialidades da Policlínica Municipal e a ampliação do horário de atendimento dos centros de saúde para que os trabalhadores possam procurá-los também à noite. Aumentar as vagas em creches é outra área que iremos atuar, como já fiz no passado, quando fui prefeito. Sorocaba tinha duas creches e em 4 anos construímos 17. O número passou a 19.

Quero ser prefeito para atuar também na área da educação, ampliando vagas e os programas como a Oficina do Saber, que oferece a educação em tempo integral, e o Sabe Tudo, com a realização de cursos. Vamos investir no esporte com a construção de mais centros para prática esportiva e pistas de skate. Na área da cultura, nossa proposta é valorizar as manifestações culturais dos bairros, além das ações para teatro, música, dança, carnaval de rua e manter e ampliar projetos importantes de Lippi. Iremos ainda promover adequações em espaços públicos voltados à cultura.

Em relação ao transporte coletivo, vamos implantar corredores exclusivos para ônibus, especialmente nas avenidas novas e fazer mais miniterminais em bairros. No passado, enfrentamos o desafio do transporte que era um dos piores do Brasil, com o serviço da empresa Vima. Revolucionamos com a construção dos terminais Santo Antônio e São Paulo e trouxemos ônibus maiores e articulados. Investiremos também nos modais alternativos como a utilização das linhas férreas que cortam a cidade para os chamados veículos leves sobre trilhos ou composições menores. Para isso, vamos lutar para a construção de desvio que retire os trens de carga da malha ferroviária que corta Sorocaba. Transporte coletivo vai ser priorizado no trânsito. Daremos continuidade às obras do Sorocaba Total para que as novas avenidas tirem boa parte dos automóveis da região central e pensamos em duas rodoviárias, uma para ônibus que venham do eixo da Raposo e outra para o eixo da Castello Branco, desafogando o trânsito.

Temos muito o que fazer em Sorocaba. Queremos que os sorocabanos tenham qualidade de vida. A nossa candidatura, minha e da doutora Edith, é comprometida com o Programa Cidades Sustentáveis. Isso quer dizer que fui o primeiro a assinar o compromisso de adotar ações e programas voltados para a sustentabilidade, que refletem diretamente na qualidade de vida do sorocabano. Já fiz ações como essas quando fui prefeito, com o início do trabalho de coleta seletiva de lixo, instalação de piso táteis que auxiliam na locomoção de pessoas com deficiência visual e agora voltaremos com outras mais direcionadas à acessibilidade. Também tenho a proposta de criar mais parques, como o bonito Parque das Águas, feito pelo prefeito Vitor Lippi. No passado, meu governo criou o Parque da Biquinha e o da Água Vermelha. Agora, faremos ainda mais.

RENATO AMARY (PMDB): Sorocaba está no limiar de se transformar numa grande metrópole. Graças a Deus, até agora, sem os problemas insanáveis que vitimaram até hoje São Paulo, Rio de Janeiro e outras grandes metrópoles brasileiras, mas alguns daqueles graves problemas começam a emergir. Trânsito, esgoto, moradia. Lidei com tudo isso nos meus dois outros mandatos. Quero ser prefeito por muitas razões, mas a principal delas é permitir um crescimento saudável para nossa cidade e para todos nós.

Quando entrei na Prefeitura as pessoas não estavam felizes na cidade em que viviam. No meu governo mudei esse cenário. A cidade passou a ter brilho próprio. Por isso, quero voltar a ser prefeito de Sorocaba, para o nosso povo retomar a autoestima.

Quero o melhor para a população. Quero que ela tenha autoestima e orgulho da nossa Terra Rasgada. Vou cuidar mais uma vez da saúde, acabando com as longas filas nos postos, unidades pré-hospitalares e Policlínica. Tratando as pessoas como gente. Oferecendo o atendimento que ela merece e paga, através dos impostos.

Quero ser prefeito para melhorar a educação de nossas crianças. Vou municipalizar todo o ensino fundamental. Porque no meu governo, de novo, não terá criança fora da escola. Todas receberão ensino de primeira e serão tratadas com igualdade. Mães vão poder deixar seus filhos nas creches, sem precisarem entrar na Justiça para terem o seu direito garantido.

Não quero favelas em nossa cidade. As pessoas vão ter condições de financiar as suas casas. Vou criar o programa municipal de habitação e zerar o déficit de mais de 12 mil moradias do município com o apoio dos governos Estadual e Federal. O meio ambiente terá programas reais e de providências sérias e ecologicamente corretas.

Quero ser prefeito porque sofro como todo sorocabano com um trânsito caótico. Onde se procura o caminho fácil, instalando semáforos, e não medidas que realmente solucionem o problema. Estou cansado de ver as pessoas abarrotadas dentro de ônibus, durante horas a fio no trajeto de casa para o trabalho ou escola. Enquanto poderiam estar descansando ou tendo horas de lazer. Isso tudo ainda pagando uma passagem que não é condizente com o serviço oferecido.

Não quero o esporte em segundo plano. Quero crianças e jovens praticando esporte e assistindo competições esportivas em um grande centro olímpico, do tamanho da grandeza do nosso povo e do desenvolvimento de nossa cidade.

Quero ser prefeito para fazer a inclusão dos portadores de necessidades especiais. Para eles andarem em calçadas sem buracos e degraus, com guias rebaixadas, sinalização e ônibus adaptados. Quero oferecer aos idosos, dignidade, como nos meus dois governos, para voltarem a serem cidadãos plenos.

Trabalharemos a ressocialização dos dependentes químicos, inclusive dos alcoólicos e egressos. É fato que há muitas pessoas dependentes na cidade, principalmente do crack, e famílias são destruídas por esse motivo. Temos que cuidar de nossos jovens e tratá-los, porque isso é uma doença.

As pessoas não podem ficar trancadas dentro de suas casas, enquanto a criminalidade cresce em todos os setores, como mostram os últimos dados da Secretaria Estadual de Segurança Pública. Não podemos deixar nossos jovens e crianças entregues aos traficantes. Vou imprimir uma política de combate ao tráfico e da valorização da educação e de prevenção a utilização das drogas. Quero ser prefeito porque amo a minha cidade e a sua gente.

Fonte: Notícia publicada na edição de 04/08/2012 do Jornal Cruzeiro do Sul, na página 008 do caderno A

About these ads